Colunistas

Alceu Amaral - Literatura e Cultura

Alceu Amaral - Literatura e Cultura

Alceu Amaral da Silva é natural de Pelotas-RS, formado em Letras. Professor, Pós-graduando em Educação de Jovens e Adultos pela FURG. Funcionário público, escritor amador, ativista Cultural. Administrador do Festival Rock e Poesia em Camaquã, Coautor do Livro Eclipses e Elipses e Destilando Poesias e contos no Blog Mouroblog.com .

Ensino sem tino

15/07/2019 - 07h51min Alceu Amaral / Foto: Divulgação

Tino - Substantivo Masculino= Capacidade de julgar, sensatez, prudência, cuidado.

Parece-me que estas qualidades foram subtraídas de nosso povo, pois lá vou eu falar sobre ensino educação, novamente.

Não sou muito de assistir TV aberta, reconheço meu ranço, mas por um interstício atmosférico que me impossibilitou outra alternativa de entretenimento, fui abduzido a um programa que falava de educação além mar, além continente.

E como tudo é mais belo no jardim do vizinho, as aves que aqui gorjeiam cantam poliglotamente lá.

Minha terra tem palmeiras, lá palmeiras não há, mas respeito é floresta.

Logo esqueço Gonçalves Dias, e me retorce por dentro uma revolta antiga proporcional à necessidade que temos de debater a importância de investimentos pesados, não retóricos eleitoreiros na educação e agora falo em educação no geral até dos pais, que devem dividir o peso desta balança tão importante na quitanda das nações.

E como não falar em política? Quem realmente entendeu a lição silenciosa da Coreia, por exemplo, que sem recursos naturais investiu em seu povo para se reconstruir de guerras devastadoras? E hoje são um belo exemplo a ser observado.

A OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico) mantém um ranking da educação em 36 países, no qual o Brasil atualmente amarga a penúltima posição. É muita falta de educação.

Faz-se preponderante notar que não sou contra estatísticas de cunho econômico, pelo contrário economia só a há com educação, com ensino de qualidade e estratégico. Provo.

Povo educado não joga papel no chão, logo diminui-se o número de alagamentos e gastos com reconstruções e com danos por enchentes.

Com ensino e treino não há reserviço.

Povo educado vacina-se, pois não tripudia da ciência.

Povo educado lê, logo entende-se como ser criativo, e que pode contribuir com soluções criativas para problemas estruturais, e morais como a eterna hemorragia política que vivemos.

Povo educado entende de história e sabe para onde vai, pois não repete passos do passado.

Povo com educação e cultura tem menos tempo para violência, pois só estas duas geram empatia social.

Meu texto seria prolixo de tantos adjetivos que poderia montar nesta tessitura que louva a educação, mas nada seria melhor que atitude de todos nós quando ouvimos um professor falar, e dizer em outras palavras o que aqui escrevo, mas quem escuta em meio a tantos gritos por aí?

A verdade é que poucos sabem o que é ter 35 alunos em salas desclimatizadas, que ainda usam giz, com discentes carentes do mais básico das atenções estruturantes, outros menos ainda teriam corajem de avançar noites adentro corrigindo provas a despeito dos seus que lhe esperam, em troca de menos de mil reias.

Impávido seria a pessoa que enfrenta aguerridamente a fome que perturba o aluno, o frio da criança ma vestida, ou suas parcas condições de higiene, que em um abraço silencioso lhe pede ajuda.

Não há necessidade de seguranças para enfrentar uma turba de 500 alunos, nem usar Vossa Excelência para ser respeitado, basta ser professor.

Minha critica e magoa é sim contra os políticos, que culpam todas as outras classes, inclusive a dos professores por nossa incapacidade de ser um país melhor. Afirmo, nenhuma classe é mais sórdida, suja, deprimente e bandida que a classe política, logo como ainda os suportamos? Como dizemos amem a suas mordomias em detrimento a nossa fome de educação e cultura?

Enquanto não percebermos o jogo sujo de quem monta estratégias para manter o status quo, educacional, que de quatro em quatro anos vive de promessas rotas, e entendermos que todos os setores da sociedade melhoram com educação de qualidade e valorização de todos os entes educacionais, todas as iniciativas serão paliativas.

Não permita Deus que eu morra sem que eu volte para meu Brasil dos sonhos, onde só acordado verei o futuro melhor.

MAIS COLUNAS

BLOG DO EVALDO
BLOG DO EVALDO
Tocando agora: Relembre bons momentos
Diminuir/Aumentar Fonte: Fonte: A - A +