Colunistas

Juliano Borges Machado - Filosofia, Reflexão e Fé

Juliano Borges Machado - Filosofia, Reflexão e Fé

Nascido em 1977, sou professor de filosofia, cultura religiosa e sociologia. Considero que os esforços para descobrir os mistérios do homem e do mundo são um tesouro muito valioso para estudarmos, e uma poderosa alavanca na nossa busca pela natureza e sentido da realidade.

Como suportar que o destino me lance à valeta, sem maiores explicações?

09/01/2022 - 16h42min Juliano Borges Machado / Foto: Depositphotos / Direitos Reservados

Essa pergunta de Rafael Llano Cifuentes expressa uma inquietação, que deve ser tão antiga quanto a humanidade, e atua como motor principal para o desenvolvimento dos povos e indivíduos na história.

Será mesmo que o mero “desejo de compreender” é capaz de trazer algo de bom para nós? Digo-lhes que sim, e penso que podemos confirmar isso em três pilares: fé, ciência e filosofia.

A fé, mais antiga forma de buscar o sentido de tudo, mostra o quanto nos voltamos ao mistério divino como causa, presença e destino de tudo.

Já a ciência, que surgiu no Renascimento, quer compreender e aplicar as leis da natureza, produzindo instrumentos aperfeiçoados para explorar cada vez mais.

Porém nos atrasam os exageros para mais ou para menos em tudo: o fanatismo da fé, a acomodação sobre os avanços - como aquelas horas em excesso nas redes sociais.

Outro caminho é a filosofia. Ela nasce no território grego do século VII a.C. prezando pelo modo racional para buscar compreender o mundo e o homem. Ela quer que “faça sentido”, que seja real, afastando o fantasioso e o falso na direção da verdade. Quero convidar vocês para acompanhar nossa coluna sobre o “amor pelo saber” (filos + sophia).

Obrigado pela leitura e sejam muito bem-vindos!

Foto: Depositphotos / Direitos Reservados

MAIS COLUNAS

MIX BEBIDAS