Esportes

Primeiro dia do Mental Tchê reúne grande público em São Lourenço do Sul

Evento iniciou com apresentações, celebração do pioneirismo em saúde mental, debates e importantes anúncios de avanços nesta área
17/05/2019 - 11h36min Decom SLS Corrigir

Com o tema ‘Saúde Mental na Atenção Básica: Fortalecendo as redes de saúde por um cuidado efetivo", o 14º Mental Tchê foi aberto na quinta-feira (16), reunindo um grande público no Galpão Crioulo do Camping Municipal em São Lourenço do Sul. Representantes de 45 municípios acompanharam o primeiro dia do evento que segue ao longo desta sexta-feira (17).

Na manhã da quinta-feira a programação contou com apresentações culturais de grupos de centros de atendimento em saúde mental de várias cidades. À tarde foi realizada a abertura oficial do evento, momento em que foi destacado especialmente o pioneirismo de São Lourenço do Sul no tratamento em saúde mental, além da importância do Mental Tchê para discussões e avanços no setor. “Esta luta começou nos anos 1980 e mudou a trajetória da saúde mental”, lembrou Flávio Resmini, médico psiquiatra supervisor de Saúde Mental de São Lourenço do Sul, referindo-se ao trabalho iniciado no Município e que se tornou referência ao país. Ele ainda destacou que esta luta resultou em uma lei da reforma psiquiátrica. “Os serviços dão voz aos usuários”. A secretária municipal de Saúde, Jaqueline Bergmann, agradeceu o conjunto de órgãos e instituições envolvidas no sucesso do Mental Tchê e lembrou o pioneirismo do psiquiatra Flávio Resmini e da então secretária de Saúde Arita Bergmann, quando criaram o primeiro Caps de saúde mental do Rio Grande do Sul em São Lourenço do Sul, o segundo no país: a Nossa Casa que está completando 31 anos. “É com muita alegria que abrimos este Mental Tchê. Que nestes dois dias possamos falar e aperfeiçoar a saúde mental, as possibilidades e as formas de fazer saúde no município”, disse a secretária, ressaltando que isto é construir um mundo mais justo, mais igualitário.

A secretária de Saúde do estado do Rio Grande do Sul, Arita Bergmann também falou na abertura do evento e lembrou de quando era secretária do Município e iniciou com Resmini o trabalho pioneiro em saúde mental. “É emocionante ver que toda a luta da reforma psiquiátrica se torna visível neste evento. Na época eu dizia: Estamos construindo uma nova história de cidadania na saúde mental”, relembrou a secretária. O prefeito Rudinei Härter iniciou falando que o próprio Mental Tchê evidencia que não há possibilidade alguma de retrocesso, apenas avanços e falou de sua alegria em ver tanta gente junta para discutir a saúde mental. “Estou muito contente de estar junto com vocês para discutir. Sei que daqui sairão muitas propostas positivas para esta área”.

A abertura contou ainda com falas do presidente da Câmara de Vereadores, Luis Weber, da vice-presidente do Conselho Municipal de Saúde, Silvana Freitas, da representante do Conselho Estadual de Saúde, Ivarlete Guimarães de França, do presidente do Cosems/RS e secretário da saúde de Rio Grande, Diego Espíndola e do representante dos usuários da saúde mental de São Lourenço do Sul, Laércio Nebel, que falou de sua felicidade pela oportunidade de mais uma vez estar junto com usuários, familiares e profissionais de tantas cidades, debatendo os serviços de saúde mental.

O primeiro dia contou ainda com a mesa Cuidado Compartilhado em Saúde Mental, com Dinarte Ballester - Médico Psiquiatra, Doutor em Ciências pela Universidade de São Paulo e Flávio Resmini - Médico Psiquiatra e Supervisor de Saúde Mental da Secretaria de São Lourenço do Sul. Foi ainda servido o tradicional Caldo Lourenciano. O evento também conta com a participação de mais de 40 integrantes da Economia Solidária, oferecendo artesanato, produtos de agroindústrias e alimentação aos visitantes.

São Lourenço do Sul é referência em saúde mental, não apenas pelo pioneirismo na criação da Nossa Casa, mas pela grande rede de atendimento nesta área. Além de 14 unidades básicas de saúde na cidade e no interior, possui três Centros de Atenção Psico-social (Caps), 30 leitos psiquiátricos em hospital geral e conta com residência médica em psiquiatria e residência multiprofissional em saúde mental.

Anúncios da secretária estadual de Saúde

Arita Bergmann aproveitou a oportunidade para anunciar conquistas na área da saúde, especialmente em saúde mental, como a habilitação de 38 leitos hospitalares em saúde mental e 14 novos serviços de saúde mental no Estado para que recebam verbas federais por meio do Ministério da Saúde.

Para São Lourenço do Sul, a conquista é na habilitação de uma Unidade de Acolhimento para adultos especializada no atendimento de gestantes usuárias de drogas, primeira experiência na área a ser implantada no Centro de Saúde São João da Reserva. Este projeto da Secretaria Municipal de Saúde tem a denominação de Mãe Me Quer.

A secretária também anunciou que a Região Sul foi escolhida pela gestão estadual para ser laboratório da planificação em saúde mental, com objetivo de colocar a rede básica como ordenadora do cuidado. O laboratório será em São Lourenço do Sul. Deve ter também um ambulatório de especialidade em saúde mental. Por critérios técnicos, São Lourenço do Sul foi escolhido para o desenvolvimento do projeto da planificação através da equipe do Albert Eisntein.

MAIS NOTÍCIAS

ECONÔMICA MÓVEIS E ELETRO
FUNERÁRIA CAMAQUENSE
FORMATTA RH
ROGÉRIO CALÇADOS
ADRIANO CONRADO
SPEED CAR
Vencato Casas
MA EXCURSÕES
SUPER SÃO JOSÉ
PEGLOW
FUNERÁRIA JARDIM
TAXISTAS APP
SERVI
RÁDIO SÃO JOSÉ
Lucas Imobiliária
Petroman
Tocando agora: Relembre bons momentos
Diminuir/Aumentar Fonte: Fonte: A - A +