Justiça

Empresário que atacou pessoas com ácido em Porto Alegre vira réu na Justiça

Juíza aceitou denúncia do Ministério Público, que aponta que Wanderlei da Silva Camargo Júnior cometeu lesões corporais ao jogar ácido em cinco vítimas. Caso ocorreu em junho
24/10/2019 - 08h32min Corrigir

Acusado de ataques com ácido em Porto Alegre, o empresário Wanderlei da Silva Camargo Júnior virou réu na Justiça por decisão da juíza Vanessa Gastal de Magalhães, que aceitou a denúncia do Ministério Público. O caso ocorreu em junho. Wanderlei está preso na Cadeia Pública da Capital.

Ele atacou cinco pessoas, na Zona Sul de Porto Alegre, nos dias 19 e 21 de junho. O réu irá responder a um processo criminal por todas as lesões corporais causadas pelo ácido, por ameaça e pelo furto e adulteração de placa colocada em outro veículo.

A acusação de ameaça se refere ao fato de que Wanderlei, conforme as investigações, jogou um bilhete em uma residência de Porto Alegre, ordenando que um morador realizasse mais ataques.

Conforme pedido do MP, a juíza também concedeu acesso a documentos do prontuário médico de uma das vítimas, e o encaminhamento das demais a exame pericial complementar.

O réu tem 10 dias para responder à acusação. O G1 entrou em contato com o advogado de Wanderlei, e aguarda retorno. O julgamento não tem data para ocorrer.

Susto na ex

Wanderlei foi preso em Curitiba, no Paraná, onde reside e tem uma agência de viagens. Conforme relatou à polícia, informalmente, ele realizou os ataques para assustar a ex-mulher, que mora na capital gaúcha, e convencê-la a se mudar para o outro estado.

A mulher relatou à RBS TV que o homem a perseguia e ameaçava, desde que eles terminaram o relacionamento. "Muito ciúme, muita cobrança. Ele colocava escutas na minha casa, colocava câmeras escondidas, um programa espião no meu aparelho celular, que até hoje eu não consegui tirar", conta.

A defesa dele alega, contudo, que esta não é a versão oficial, já que em interrogatório oficial na fase de investigação ele ficou em silêncio.

Relembre os ataques

Os ataques aconteceram nos dias 19 e 21 de junho, nos bairros Nonoai e Aberta dos Morros. Quatro mulheres e um adolescente foram atingidos pelo líquido, que o IGP confirmou ser ácido sulfúrico.

"Ele é um ácido extremamente forte, corrosivo, tem um poder de desidratação muito grande. A hora que tocar na pele vai desidratar, vai formar uma queimadura química, então o dano é bem agressivo na pele ou em outros materiais que sejam suscetíveis a esse ácido", diz.

A polícia acredita que Wanderlei tenha premeditado os ataques.

MAIS NOTÍCIAS

ADRIANO CONRADO
RÁDIO SÃO JOSÉ
OLIDATA
SKY INFOPARTNERS
ELETRO CLIC
ROGÉRIO CALÇADOS
GRUPO WHATSAPP
FUNERÁRIA CAMAQUENSE
ART MÓVEIS
LAVAGEM FERNANDES
SUPER SÃO JOSÉ
Petroman
FUNERÁRIA BOM PASTOR
FUNERÁRIA CONCÓRDIA
BRICK DO TOMAZ
Tocando agora: Relembre bons momentos
Diminuir/Aumentar Fonte: Fonte: A - A +