Esportes

"Fui denunciado por ser o presidente no ano do rebaixamento", diz Piffero

Ex-mandatário do Inter conversou com o colunista Hiltor Mombach
14/11/2019 - 10h55min Corrigir

Na coluna de ontem, tratei das manifestações discrepantes da Auditoria Saweryn & Associados, Auditores Independentes e do Ministério Público sobre as contas da gestão de Vitorio Piffero (2015/2016). A Saweryn & Associados apontou que “em nossa opinião, exceto pelos efeitos e limitações do assunto descrito na seção a seguir intitulada “base para opinião com ressalva”, as demonstrações financeiras acima referidas se apresentam adequadamente, em todos os aspectos relevantes…”

Escrevi que “o Ministério Público denunciou o ex-presidente e mais 13 pessoas por suspeitas de desvios. Segundo o Ministério Público, as investigações apontaram desvios superiores a R$ 13 milhões. Além do ex-presidente, foram denunciados outros três ex-dirigentes da gestão: Pedro Affatato (ex-vice de Finanças), Emídio Ferreira (ex-vice de Patrimônio) e Carlos Pellegrini, (ex-vice de Futebol).” Recebo telefonema de Vitorio Piffero. “Não é verdade que sou suspeito de desvio. Nunca fui. Reviraram minha vida e nada encontraram. Fui denunciado por ser presidente no ano do rebaixamento. Não há nenhum desvio, nenhum indício de nada” afirma o ex-presidente.

Na semana passada, o filho de Vitorio, Franco Piffero, usou as redes sociais para um desabafo. O texto na íntegra pode ser encontrado no meu blog. Trecho: “É engraçado estar do lado de cá, conhecendo a verdade do meu pai e vendo a teatralidade da obra se desenrolando conforme os procuradores explicam como o seu incansável trabalho foi extremamente minucioso durante meses e anos de investigação para culminar em um pomposo “contra Vitorio Piffero não temos nada, mas ele tinha que saber”. Claro que eles usam palavras como “coautor” e “corresponsável” para maquiar a denúncia para aqueles que não entendem (e nem precisam entender) a linguagem de advogados e acabam entendendo as coisas por contexto” escreve Franco. Vitorio Piffero reafirma: “Tudo o que eles têm contra mim é isto, eu estava lá e tinha que saber. Mais nada”. 

Piffero sempre sustentou estar sendo perseguido politicamente pela queda inédita do Inter para a Segunda Divisão. Ele desmente um boato de que estaria pensando em se mudar para o Rio de Janeiro: “Não é verdade. Estou com a consciência tranquila. Fomos rebaixados e eu sou o maior culpado”.

MAIS NOTÍCIAS

OLIDATA
ROGÉRIO CALÇADOS
JOMAR GÁS
ADRIANO CONRADO
RÁDIO SÃO JOSÉ
Petroman
FUNERÁRIA CAMAQUENSE
Lucas Imobiliária
SUPER SÃO JOSÉ
OBA OBA
FUNERÁRIA JARDIM
FUNERÁRIA BOM PASTOR
SPEED CAR
ECONÔMICA MÓVEIS E ELETRO
GRÁFICA.COM
FORMATTA RH
Tocando agora: Relembre bons momentos
Diminuir/Aumentar Fonte: Fonte: A - A +