Geral

Vazamento de óleo de navio grego atinge a orla marítima em Rio Grande

Derramamento ocorreu na noite de quarta (13), durante o abastecimento de uma embarcação, afirma a superintendência do porto. Órgãos federais e estaduais fazem a identificação das causas e remoção do material
14/11/2019 - 16h26min Corrigir

Um vazamento de óleo de uma embarcação, ocorrido na noite desta quarta-feira (13), atingiu a orla marítima de Rio Grande, no Sul do estado. Em nota, a Superintendência do Porto (SUPRG) informa que, de maneira preliminar, estima-se que foram vazados de 2 a 3 m³ de óleo bunker.

Órgãos de proteção ao meio ambiente foram chamados para irem ao porto ajudar na contenção do material, mas as causas do derramamento ainda não foram esclarecidas.

O órgão confirma que o vazamento teria ocorrido por volta das 23h, durante o processo de abastecimento do navio cargueiro que estava atracado no terminal da Termasa. A principal área envolvida fica entre o terminal da Termasa e Tecon.

Segundo a SUPRG, nos ambientes com a presença de óleo foram utilizadas as barreiras de contenção e também estão sendo usadas barreiras de absorção do material.

A superintendência afirma que "o plano de área foi acionado conforme regem nossos procedimentos ambientais e imediatamente foram instaladas as barreiras de contenção".

De acordo com a SUPRG, o navio que originou o vazamento de óleo foi identificado como Dimitris L, da empresa grega Vrontados. Conforme o site da empresa, a embarcação foi construída em 2001 e possui a capacidade de 73.193 toneladas.

Não há, porém, a dimensão da área afetada pelo derramamento de óleo. O Comando Ambiental da Brigada Militar (Patram) realiza o monitoramento para saber a extensão da área atingida.

Além da contenção, a Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam), o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente (Ibama) e a Capitania dos Portos atuam no trabalho de identificação das causas e remoção do material.

O Centro de Recuperação de Animais Marinhos (CRAM), através de um contrato entre a SUPRG e a Furg, realiza o monitoramento de toda a fauna da região, principalmente dos leões marinhos que ficam no entorno dos Molhes da Barra.

A superintendência garante que "o sistema de segurança ambiental do complexo portuário foi acionado e ativado, compondo um amplo sistema de empresas e órgãos públicos, na busca pela resolução do problema".

MAIS NOTÍCIAS

ELETRO CLIC
FUNERÁRIA CAMAQUENSE
Petroman
ADRIANO CONRADO
ART MÓVEIS
SPEED CAR
ROGÉRIO CALÇADOS
GRÁFICA.COM
JENIFER
FICA EM CASA
RÁDIO SÃO JOSÉ
ECONÔMICA MÓVEIS E ELETRO
FUNERÁRIA BOM PASTOR
SUPER SÃO JOSÉ
OLIDATA
Tocando agora: Relembre bons momentos
Diminuir/Aumentar Fonte: Fonte: A - A +