Justiça

TRF-4 julga hoje recurso de Lula no caso do sítio de Atibaia

Sessão começa às 9h. MPF recomendou o aumento da pena e a defesa tenta anular a condenação do ex-presidente
27/11/2019 - 08h34min Rádio Guaíba Corrigir

A 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da Quarta Região (TRF-4), em Porto Alegre, julga hoje recurso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no caso do sítio de Atibaia, em São Paulo. A sessão está marcada para as 9 horas. O petista foi condenado, em primeira instância, a 12 anos e 11 meses de prisão por supostamente ter recebido benefícios de empreiteiras na reforma do imóvel.

No entanto, o julgamento que condenou Lula em 1º grau pode ser revisto em razão de uma decisão do Supremo Tribunal Federal (STF). A corte definiu que réus delatados têm direito a se manifestar nos autos do processo após a manifestação do delator.

Veja também: Conselho de Ética abre dois processos contra Eduardo Bolsonaro

No TRF-4, os desembargadores vão decidir se o processo volta ou não para a Justiça Federal em Curitiba, na fase das alegações finais. A defesa de Lula pede a anulação da sentença da juíza Gabriela Hardt. Já a força-tarefa da Lava Jato no Ministério Público Federal afirma que não houve prejuízo à defesa de Lula em razão da ordem das alegações.

Se a 8ª Turma considerar que o processo não deve voltar para a 1ª instância, os desembargadores passam a definir se a sentença que condenou Lula será confirmada, reformada (com aumento ou redução da pena) ou anulada.

Desembargadores

Carlos Eduardo Thompson Flores Lenz é gaúcho de Porto Alegre e tem 56 anos. O desembargador foi presidente do TRF-4 entre 2015 e 2017 e, atualmente, preside a 8ª Turma. O magistrado manteve a prisão do Lula no episódio conhecido como “prende e solta” em meados de 2018. Thompson Flores é declarado apoiador da prisão em segunda instância, que foi suspensa pelo STF neste ano.

João Pedro Gebran Neto é natural de Curitiba e tem 54 anos. Membro da 8ª Turma do TRF-4, foi um dos desembargadores que condenou Lula no caso do Triplex do Guarujá, que provocou a prisão do petista./ O magistrado foi colega de mestrado do ex-juiz Sérgio Moro. No Tribunal, Gebran Neto negou os pedidos da defesa de Lula, que queria incluir nos processos da Lava Jato o conteúdo de mensagens vazadas pelo site The Intercept Brasil.

O relator do processo é Leandro Paulsen. Natural de Porto Alegre, o magistrado é o mais jovem do colegiado, com menos de 50 anos. O desembargador também condenou Lula no caso do Triplex e negou o recurso do ex-presidente, quando pediu para deixar a prisão a fim de acompanhar o velório de seu irmão, Genival Inácio da Silva, o Vavá. Recentemente, Leandro Paulsen anulou uma sentença da juíza Gabriela Hardt, afirmando que a juíza de Curitiba realizou “copia e cola” em um caso sem relação com a Lava Jato ou com Lula.

 

MAIS NOTÍCIAS

FUNERÁRIA CAMAQUENSE
ADRIANO CONRADO
MIX BEBIDAS
ELETRO CLIC
RÁDIO SÃO JOSÉ
OLIDATA
ART MÓVEIS
FUNERÁRIA BOM PASTOR
LAVAGEM FERNANDES
ROGÉRIO CALÇADOS
SUPER SÃO JOSÉ
Tocando agora: Relembre bons momentos
Diminuir/Aumentar Fonte: Fonte: A - A +