Polícia

Preso grupo investigado por furto de gado no RS

Grupo é suspeito de furtar mais de 300 animais só neste ano
02/12/2019 - 11h01min Corrigir

A Polícia Civil prendeu oito pessoas, na manhã desta segunda-feira (2), suspeitas de participar de grupo investigado por furto de gado (abigeato) no Rio Grande do Sul. Foram apreendidos caminhonetes e caminhões boiadeiro usados nos crimes.

A operação cumpriu 12 mandados de busca e apreensão e sete de prisão preventiva, além de uma prisão em flagrante por posse de arma, em Minas do Leão, Caxias do Sul e Gravataí. Cerca de 80 policiais civis e oito fiscais agropecuários da Secretaria Estadual de Agricultura participaram da ação.

A investigação foi feita pela Delegacia Especializada na Repressão aos Crimes Rurais e Abigeato de Bagé e durou três meses. Segundo a polícia, o grupo é suspeito de cometer vários crimes de abigeato no estado.

A organização criminosa usava caminhões para furtar uma grande quantidade de animais de uma só vez. Segundo o delegado responsável pelo caso, André Mendes, a operação levou o nome de Regresso porque o abigeato, praticado desta maneira, não era registrado desde 2017.

A polícia recebeu denúncias de que pessoas teriam se associado para praticar furto de gado, principalmente na Serra e no Litoral. Há registro de ataques do grupo também na região de Palmares do Sul, informou a polícia.

"As investigações foram evoluindo e fomos chegando na identidade dos integrantes do bando. Também identificamos a participação da quadrilha em diversos outros crimes de abigeato nos municípios de Santo Antônio da Patrulha, Palmares do Sul, Capivari do Sul, Osório, Tavares, Maquiné, Taquara, Mostardas, entre outros", explicou o delegado.

Segundo as investigações, a quadrilha é suspeita de furtar mais de 300 animais bovinos em 2019.

Os animais eram carregados em caminhões boiadeiro para a Região Metropolitana, e alguns eram levados para confinamento e depois abatidos.

Um dos principais integrantes do grupo é produtor rural. De acordo com a polícia, o suspeito aluga gado para rodeios, e usava o transporte desses animais para carregar o gado furtado.

Durante a investigação, foram apreendidos 186 animais bovinos sem procedência, além carne de animais abatidos após o furto.

"Acreditamos que se trate da maior e mais bem organizada quadrilha de abigeato em atividade no Rio Grande Sul. Durante as investigações um dos envolvidos no esquema criminoso, utilizando-se de influência, chegou a procurar um deputado estadual objetivando buscar apoio político, através de 'contatos' para frustrar o trabalho dos policiais e fiscais agropecuários da Secretaria de Agricultura que participam das investigações. Servidores foram ameaçados com denuncias nos órgãos corregedores".

Segundo o delegado, a investigação continua e o inquérito policial deve ser remetido à Justiça até o fim do ano.

MAIS NOTÍCIAS

SUPER SÃO JOSÉ
OLIDATA
RÁDIO SÃO JOSÉ
FUNERÁRIA BOM PASTOR
ADRIANO CONRADO
FUNERÁRIA CAMAQUENSE
ELETRO CLIC
MIX BEBIDAS
LAVAGEM FERNANDES
ROGÉRIO CALÇADOS
ART MÓVEIS
Tocando agora: Relembre bons momentos
Diminuir/Aumentar Fonte: Fonte: A - A +