Geral

BR-116 terá mais 11 quilômetros liberados

Os trechos duplicados ainda em 2019 ficam entre os municípios de Cristal e São Lourenço do Sul
17/12/2019 - 11h09min Diário Popular Corrigir

O contorno de Pelotas terminará 2019 com 15, dos 23,8 quilômetros, concluídos. A obra, que faz parte da duplicação da BR-116, vive atualmente a expectativa do orçamento federal de 2020, para que projeções de término mais precisas sejam feitas. Já a duplicação como um todo deve ter mais 11 quilômetros liberados em 2019 e outros oito em janeiro do ano que vem.

Ao Diário Popular, o engenheiro do Dnit responsável pelo trabalho, Vladimir Casa, explica que três trechos do Contorno de Pelotas estão concluídos. O primeiro se inicia na ponte do Retiro e se estende até a barragem do canal Santa Bárbara. O segundo compreende o espaço entre o canal Santa Bárbara e a avenida Herbert Hadler. Por fim, estão finalizados os trabalhos entre a saída para Rio Grande e a ponte do canal São Gonçalo. Ao todo, já são 15 quilômetros liberados.

O próximo trecho a passar por conclusão deve ser o que compreende a saída para Rio Grande e a via férrea de Pelotas. Também estão próximos de liberação parcial, três quilômetros pertencentes ao trecho entre a avenida Cidade de Lisboa e o viaduto da Duque de Caxias, já no entroncamento entre a BR-116 e a BR-392. Há ainda no horizonte das conclusões a extensão de três quilômetros entre a via férrea de Pelotas e a Avenida Viscondessa da Graça. Restarão ainda dois quilômetros da Avenida Cidade de Lisboa com trabalhos. “Estamos trabalhando em uma rodovia que está em via urbana, com muito tráfego, então não dá para entregar tudo junto”, justificou Casa.

Sobre prazos, o engenheiro foi direto: não será antes do fim de 2020 que o contorno de Pelotas estará completo. O motivo, como tem sido durante os já sete anos de duplicação da BR-116, é financeiro. “Estamos trabalhando com verba praticamente zero”, disse. Em 2020, o orçamento da União liberou R$ 25 milhões para a obra do contorno. Para além deste montante, nada, ainda que exista a expectativa de mais R$ 10 milhões que dependem de tramitação no Congresso Nacional.

Casa trabalha com a expectativa de que, para 2020, a verba a ser liberada através do orçamento da União seja igual à de 2019. Algo que o engenheiro não considera suficiente. Segundo ele, o número ideal seria algo em torno de R$ 60 milhões.

Duplicação

Sobre a duplicação da BR-116 como um todo, o engenheiro do Dnit afirmou que, após uma série de intempéries, todos os lotes encontram-se com trabalhos em andamento. Em 2019, os primeiros 47 quilômetros foram liberados dos 211 totais e, em nota, o Dnit informou que ainda em 2019 mais 11 quilômetros devem ser entregues - seis em Cristal e cinco em São Lourenço do Sul. Ainda na nota, o órgão afirmou que pretende concluir oito quilômetros em Turuçu no início do ano que vem. Até o fim do primeiro trimestre de 2020, a expectativa é de liberação de outros 17 quilômetros - cinco em Barra do Ribeiro e outros dois segmentos em Camaquã com nove e três quilômetros. “Toda a duplicação deve estar concluída até o final de 2021”, finaliza o texto.

O contorno de Pelotas terminará 2019 com 15, dos 23,8 quilômetros, concluídos. A obra, que faz parte da duplicação da BR-116, vive atualmente a expectativa do orçamento federal de 2020, para que projeções de término mais precisas sejam feitas. Já a duplicação como um todo deve ter mais 11 quilômetros liberados em 2019 e outros oito em janeiro do ano que vem.

Ao Diário Popular, o engenheiro do Dnit responsável pelo trabalho, Vladimir Casa, explica que três trechos do Contorno de Pelotas estão concluídos. O primeiro se inicia na ponte do Retiro e se estende até a barragem do canal Santa Bárbara. O segundo compreende o espaço entre o canal Santa Bárbara e a avenida Herbert Hadler. Por fim, estão finalizados os trabalhos entre a saída para Rio Grande e a ponte do canal São Gonçalo. Ao todo, já são 15 quilômetros liberados.

O próximo trecho a passar por conclusão deve ser o que compreende a saída para Rio Grande e a via férrea de Pelotas. Também estão próximos de liberação parcial, três quilômetros pertencentes ao trecho entre a avenida Cidade de Lisboa e o viaduto da Duque de Caxias, já no entroncamento entre a BR-116 e a BR-392. Há ainda no horizonte das conclusões a extensão de três quilômetros entre a via férrea de Pelotas e a Avenida Viscondessa da Graça. Restarão ainda dois quilômetros da Avenida Cidade de Lisboa com trabalhos. “Estamos trabalhando em uma rodovia que está em via urbana, com muito tráfego, então não dá para entregar tudo junto”, justificou Casa.

Sobre prazos, o engenheiro foi direto: não será antes do fim de 2020 que o contorno de Pelotas estará completo. O motivo, como tem sido durante os já sete anos de duplicação da BR-116, é financeiro. “Estamos trabalhando com verba praticamente zero”, disse. Em 2020, o orçamento da União liberou R$ 25 milhões para a obra do contorno. Para além deste montante, nada, ainda que exista a expectativa de mais R$ 10 milhões que dependem de tramitação no Congresso Nacional.

Casa trabalha com a expectativa de que, para 2020, a verba a ser liberada através do orçamento da União seja igual à de 2019. Algo que o engenheiro não considera suficiente. Segundo ele, o número ideal seria algo em torno de R$ 60 milhões.

Duplicação

Sobre a duplicação da BR-116 como um todo, o engenheiro do Dnit afirmou que, após uma série de intempéries, todos os lotes encontram-se com trabalhos em andamento. Em 2019, os primeiros 47 quilômetros foram liberados dos 211 totais e, em nota, o Dnit informou que ainda em 2019 mais 11 quilômetros devem ser entregues - seis em Cristal e cinco em São Lourenço do Sul. Ainda na nota, o

órgão afirmou que pretende concluir oito quilômetros em Turuçu no início do ano que vem. Até o fim do primeiro trimestre de 2020, a expectativa é de liberação de outros 17 quilômetros - cinco em Barra do Ribeiro e outros dois segmentos em Camaquã com nove e três quilômetros. “Toda a duplicação deve estar concluída até o final de 2021”, finaliza o texto.

MAIS NOTÍCIAS

RESTAURANTE COME COME
RÁDIO SÃO JOSÉ
FAMOSOS
ART MÓVEIS
SUPER SÃO JOSÉ
PADARIA ESTRELA
ELETRO CLIC
ROGÉRIO CALÇADOS
FUNERÁRIA BOM PASTOR
FUNERÁRIA CAMAQUENSE
ADRIANO CONRADO
OLIDATA
Tocando agora: Relembre bons momentos
Diminuir/Aumentar Fonte: Fonte: A - A +