Política

Governo do Rio Grande do Sul anuncia benefícios fiscais para cinco setores

Setores coureiro-calçadista, de microcervejarias, eletroeletrônicos, estruturas metálicas e cereais serão os favorecidos
27/12/2019 - 13h44min Corrigir

O governador Eduardo Leite (PSDB) assinou na manhã de sexta-feira cinco decretos com medidas voltadas a setores econômicos do Rio Grande do Sul. Através de diferentes ações previstas pelos texto, empresas das áreas coureiro-calçadista, microcervejarias, indústrias de cereais, estruturas metálicas e elétrico e eletrônico, terão uma redução da carga tributária. A intenção do Executivo é ampliar a competitividade econômica do estado e entrar de vez na chamada guerra fiscal.

Durante o evento, realizado no Palácio Piratini, Leite destacou que com as medidas pretende manter empresas no Rio Grande do Sul, e evitar o assédio de outros estados. “Estamos dizendo que não vamos ficar assistindo outros estados promoverem, através de benefícios fiscais, atração de investimentos gaúchos nas áreas que somos vocacionados.” O governador chegou a citar a guerra fiscal em seu discurso, mesmo se dizendo contrária a ela, afirmou que não pretende deixar de competir.

Segundo o chefe do Executivo, as concessões dadas às empresas são os mesmas utilizadas por outros estados para atrair investimentos. “São benefícios fiscais concedidos em outros estados que estamos fazendo a assimilação aqui no Rio Grande do Sul.” Como o próprio Leite disse, mesmo usando diferentes métodos, as medidas significam a redução tributária às empresas. “Em cada um deles tem uma alteração específica mas que significará redução de carga tributária.”

Em seu discurso, Leite destacou por diversas vezes a necessidade de menos impostos para atrair investimentos, e afirmou que não pretende renovar a majoração do ICMS em 2020. “Estamos trabalhando para que isso não seja necessário, nossa agenda de competitividade envolve redução de impostos para a população como um todo e para todos os setores.” Ele citou o pacote de reformas e as mudanças na alíquota e aposentadoria com um caminho para evitar a manutenção atual do imposto.

O que muda com os decretos

Cada um dos setores terá uma política específica, que de diferentes formas impactará na redução de impostos pagos. Com isso, o governo espera manter as empresas no estado e atrair novos investimentos.

Coureiro-calçadista

Será elaborado um Pacto Setorial Cooperativo, no qual as empresas se comprometem com alguns procedimentos que garantam contratação local de outros pontos da cadeia produtiva. Com isso, a carga tributária destas será de 4% na saída.

Microcervejarias

As empresas passam a adorar a Substituição Tributária, o que significa que o imposto será recolhido apenas na indústria e não no restante da cadeia produtiva. Essa medida deve gerar uma redução de 3% na carga tributária das empresas.

Indústrias de cereais

As empresas que importam aveia para outros estados terão uma redução no imposto local. Atualmente, os produtos vendidos na região Sudeste pagam 12% de tributos ao governo gaúcho. Já as exportações para o Norte e Nordeste do país pagam 7%, com as novas regras o imposto será de 5% e 3% respectivamente.

Estruturas metálicas

Neste caso o governo reduzirá a carga tributária sob fabricantes de estruturas metálicas

Elétrico e eletrônico

Neste setor serão duas medidas, a redução de carga tributária para fabricantes de de transformadores de grande porte e também para fabricantes de placas eletrônicas.

MAIS NOTÍCIAS

ELETRO CLIC
PADARIA ESTRELA
SUPER SÃO JOSÉ
FUNERÁRIA CAMAQUENSE
RESTAURANTE COME COME
ART MÓVEIS
FUNERÁRIA BOM PASTOR
RÁDIO SÃO JOSÉ
ADRIANO CONRADO
FAMOSOS
ROGÉRIO CALÇADOS
OLIDATA
Tocando agora: Relembre bons momentos
Diminuir/Aumentar Fonte: Fonte: A - A +