Educação

TCE-RS concede prazo para apresentação de plano para recuperação de aulas

O impasse diz respeito à greve realizada pelos profissionais da educação e a necessidade de o Poder Público estabelecer providências visando à recuperação dos dias letivos perdidos
06/01/2020 - 17h46min Ascom TCE-RS Corrigir

O Tribunal de Contas do Estado (TCE-RS) emitiu medida cautelar, nesta segunda-feira (6), concedendo prazo de 72 horas para que o administrador da Secretaria da Educação do Rio Grande do Sul apresente um plano de ação para a recuperação das aulas do ano letivo correspondentes ao período de paralisação das atividades dos professores, que teve início em 18 de novembro de 2019.

A medida foi provocada por uma representação do Ministério Público de Contas (MPC-RS). O impasse diz respeito à greve realizada pelos profissionais da educação e a necessidade de o Poder Público estabelecer providências visando à recuperação dos dias letivos perdidos.

Segundo o relator plantonista do processo no TCE-RS, conselheiro Cezar Miola, devem ser exigidas iniciativas materiais do Poder Público visando à implementação do direito fundamental à educação. O relator destaca no documento que “assim, quando alunos da educação básica do Estado (...) se veem privados do seu direito fundamental quanto ao mínimo de dias e horas letivos, é preciso reencontrar-se o caminho ditado por tantas disposições protetivas. Desse modo, impõe-se colocar em prática as respectivas medidas assecuratórias mínimas. E as mesmas passam por aspecto significativo do quanto proposto no pleito deduzido pelo Ministério Público de Contas. Com isso, se estará cuidando, efetivamente, dos reais destinatários de toda a ação estatal na seara da educação: os estudantes, por vezes não lembrados no contexto de uma crise para a qual não concorreram, mas que lhes afeta diretamente”.

A decisão destaca ainda que “não se está debatendo, nesta manifestação, a decisão administrativa de como conduzir a gestão relativa ao movimento paredista. O que se busca é uma solução que não agrave ainda mais as dificuldades por que passam estudantes da rede de ensino estadual e suas famílias”.

O relator deu prazo regimental de 15 dias para que o administrador, caso queria, se manifeste sobre o teor da representação.

Acesse a decisão aqui

MAIS NOTÍCIAS

SUPER SÃO JOSÉ
BRICK DO TOMAZ
ADRIANO CONRADO
FUNERÁRIA CONCÓRDIA
ART MÓVEIS
FUNERÁRIA CAMAQUENSE
GRUPO WHATSAPP
LAVAGEM FERNANDES
Petroman
FUNERÁRIA BOM PASTOR
OLIDATA
ELETRO CLIC
GRÁFICA.COM
RÁDIO SÃO JOSÉ
ROGÉRIO CALÇADOS
Tocando agora: Relembre bons momentos
Diminuir/Aumentar Fonte: Fonte: A - A +