Economia

Arrecadação de impostos estaduais no RS totaliza R$ 39,5 bilhões em 2019

Desempenho representa um crescimento de de 5,2% em valores nominais
22/01/2020 - 14h08min Jornal do Comércio Corrigir
O Rio Grande do Sul encerrou 2019 com um total de R$ 39,5 bilhões arrecadados em impostos estaduais. O montante é composto pela soma do ICMS (Imposto sobre Operações relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual, Intermunicipal e de Comunicação), do IPVA (Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores) e do ITCD (Imposto sobre Transmissão "Causa Mortis" e Doação de Quaisquer Bens e Direitos). O desempenho, segundo a Receita Estadual, representa um crescimento de 5,2% em valores nominais e de 1,5% em números atualizados pelo IPCA frente ao ano de 2018.
A análise comparativa é feita já considerando os ajustes necessários devido à antecipação de aproximadamente R$ 720 milhões em receitas no final de 2018, utilizando, dessa forma, o Regime de Competência, que apropria as receitas ao período a que se referem. Na ocasião, para incrementar o fluxo de caixa, possibilitar o pagamento dos servidores e o atendimento das necessidades básicas da população, R$ 347 milhões de ICMS e R$ 373 milhões de IPVA que seriam arrecadados no início de 2019 foram antecipados para os últimos dias de dezembro de 2018. Sem fazer os ajustes, ou seja, considerando o Regime de Caixa (apropriação das receitas ao período que de fato ocorreram), o crescimento nominal é de 2,5% e há queda de 1,1% em valores reais.
Resultados de dezembro são impulsionados pelo Refaz 2019
A arrecadação dos impostos estaduais em dezembro foi fundamental para o resultado acumulado do ano, totalizando R$ 4,9 bilhões. Mesmo sem antecipar receitas previstas para 2020, foi possível superar a arrecadação verificada em 2018 em valores nominais (+2,1%) e chegar próximo do resultado anterior em números atualizados pelo IPCA (-1,0%).
No ICMS, o montante arrecadado foi impulsionado pelo resultado recorde do Refaz 2019. O programa, que encerrou no dia 13 de dezembro, garantiu o ingresso de R$ 720 milhões aos cofres públicos. Assim, o mês de dezembro registrou R$ 3,9 bilhões arrecadados em ICMS, o que significa um crescimento nominal de 0,9% frente ao mesmo período de 2018, quando foram antecipados R$ 347 milhões do tributo que seria arrecadado no mês seguinte. Em números atualizados, a variação é de -0,9%. Na arrecadação acumulada anual, considerando os valores ajustados pela antecipação de 2018, o ICMS teve uma evolução positiva nominal de 4,7% e atualizada de 1,1%.
Em relação ao IPVA, os contribuintes tiveram a oportunidade de quitar o tributo relativo ao ano de 2020 com desconto pela antecipação, assim como nos anteriores. Com isso, foram arrecadados R$ 912,2 milhões, correspondendo a uma variação positiva nominal de 8,3% na comparação com dezembro de 2018 (+5,1% em números atualizados).
O ITCD, por sua vez, foi responsável pela arrecadação de R$ 90,5 milhões no mês, registrando queda frente ao mesmo período do ano anterior (-3,0% nominal e -5,9% em valores corrigidos pelo IPCA). Apesar da variação negativa, o tributo fechou o ano com o melhor resultado acumulado, com crescimento real de 11,5%, fruto da profunda reestruturação e modernização da gestão e dos processos relacionados ao imposto.
Projeção para 2020
Além da expectativa por avanços na economia nacional e estadual, a grande aposta para o incremento da arrecadação é a agenda Receita 2030, que consiste em 30 iniciativas propostas pela Receita Estadual para modernizar a administração tributária gaúcha.
Os principais focos são promover a transformação digital do fisco, a simplificação extrema das obrigações dos contribuintes, a melhoria do ambiente de negócios, o desenvolvimento econômico e a otimização das receitas estaduais. Diversas ações já estão sendo executados pelo fisco gaúcho, com previsão de avanços ao longo do ano. Um dos exemplos é a iniciativa “Fiscalização Especializada”, que visa à especialização da fiscalização por segmentos econômicos, possibilitando um conhecimento profundo do setor, com metas focadas na recuperação da brecha tributária e da arrecadação, repercutindo também em ações de combate à sonegação, de autorregularização e de política tributária. Para implementar a iniciativa, a Receita Estadual está promovendo a criação de 16 Grupos Especializados Setoriais.

MAIS NOTÍCIAS

ART MÓVEIS
RÁDIO SÃO JOSÉ
FUNERÁRIA CAMAQUENSE
FUNERÁRIA BOM PASTOR
PADARIA ESTRELA
OLIDATA
SUPER SÃO JOSÉ
ROGÉRIO CALÇADOS
ADRIANO CONRADO
ELETRO CLIC
RESTAURANTE COME COME
Tocando agora: Relembre bons momentos
Diminuir/Aumentar Fonte: Fonte: A - A +