Obituário

Morre aos 84 anos o jornalista, advogado e político Ibsen Pinheiro

Parlamentar conduziu impeachment de Collor e foi quadro histórico do MDB desde os anos 1970
24/01/2020 - 23h53min Corrigir

Morreu nesta sexta-feira (24) o jornalista, advogado e político Ibsen Pinheiro, aos 84 anos. Procurador de Justiça aposentado, ele também seguia como conselheiro deliberativo do Inter. "É com profundo pesar que comunicamos o falecimento do jornalista Ibsen Pinheiro na noite desta sexta-feira, dia 24 de janeiro. Ibsen sofreu uma parada cardiorrespiratória enquanto passava por tratamento de saúde no Hospital Dom Vicente Scherer, em Porto Alegre", confirmou o MDB em nota de pesar. O velório deverá ocorrer na Assembleia Legislativa.

O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite, decretou luto oficial por três dias. "Recebi com tristeza a notícia do falecimento do deputado Ibsen Pinheiro. Ibsen foi homem público incansável na luta por um país melhor. Sua trajetória política, marcada pelo diálogo e pelo respeito, deixa grande legado ao Brasil."

Ibsen nasceu em São Borja, em 5 de julho de 1935, filho de Ricardo Pinheiro Bermudes e Lilia Valls Pinheiro. Ele começou na política em 1976, ao se eleger verador por Porto Alegre. Em seguida, conseguiu mandato de deputado estadual em 1978. Era um político histórico nos quadros do MDB/PMDB. Presidente do MDB gaúcho por dois mandatos (2010 a 2012 e 2015 a 2017), Ibsen foi vereador, deputado estadual, deputado federal e presidiu a Câmara dos Deputados. Por duas vezes, exerceu o cargo de presidente da República e teve papel decisivo na elaboração da Constituição Brasileira.

Em 1986 foi eleito deputado constituinte e, de fevereiro de 1991 a fevereiro de 1992, foi o presidente da Câmara Federal, tendo conduzido o processo de impeachment do ex-presidente Fernando Collor de Mello. No procedimento contra Dilma Rousseff, votou contra a cassação por não ver configurado com clareza o crime durante o mandato.

Teve mandato cassado em 1994 no episódio batizado de Anões do Orçamento, divulgado pela revista Veja. Posteriormente, 11 anos depois, o jornalista responsável pela matéria reconheceu que haviam erros nos números divulgados sobre o suposto desvio de verbas. Voltou à política em 2004, ao ganhar novo mandato como vereador de Porto Alegre. Seu último mandato foi como deputado estadual até 2018, despedindo-se da Assembleia Legislativa em abril daquele ano.

No Inter, sempre foi um conselheiro com grande influência e ocasionais presenças nos quadros diretivos do futebol. Teve forte atuação na vitoriosa década de 1970 e voltou em 2016 para tentar evitar o rebaixamento do clube. Também era procurador de justiça aposentado.

MAIS NOTÍCIAS

TRIUNFO PESQUISAS
ART MÓVEIS
JOMAR GÁS
Petroman
JENIFER
SUPER SÃO JOSÉ
GRÁFICA.COM
ELETRO CLIC
OLIDATA
RÁDIO SÃO JOSÉ
ECONÔMICA MÓVEIS E ELETRO
SPEED CAR
ALEXANDRE AR CONDICIONADO
FUNERÁRIA JARDIM
FUNERÁRIA CAMAQUENSE
ROGÉRIO CALÇADOS
Tocando agora: Relembre bons momentos
Diminuir/Aumentar Fonte: Fonte: A - A +