Saúde

Mortes por câncer de colo de útero aumentam 25% no RS, em dez anos

Alterações na política de vacinação e acesso a programas sociais podem contribuir para prevenção do câncer de colo de útero, defende Febrasgo
30/01/2020 - 16h29min Atualizada em 31/01/2020 - 14h53min rspress / Tâmara Santos Corrigir

Segundo dados recentes do Ministério da Saúde, o estado do Rio Grande do Sul apresentou aumento de 43,00% no número de óbitos decorrentes do câncer de colo de útero, entre 2007 e 2017. Nos mesmo período, em todo o Brasil, a elevação foi de 46,95%

Embora boa parte deles esteja ligado à melhor notificação da doença, a Febrasgo aponta falhas nos sistema de prevenção e tratamento que podem impactar na quantidade de mulheres diagnosticadas todos os anos. A cobertura vacinal tem atingido público menor que o necessário e, de outro lado, a taxa de mulheres que fazem consultas regulares ao ginecologista também se mostra aquém do necessário para garantir melhores condições de saúde.

Abaixo, além de apontar esses dados, a Febrasgo aponta medidas simples de políticas públicas que poderiam contribuir para uma melhor proteção das mulheres contra o câncer de colo de útero.

MAIS NOTÍCIAS

Petroman
GRÁFICA.COM
OLIDATA
SPEED CAR
FUNERÁRIA CAMAQUENSE
ECONÔMICA MÓVEIS E ELETRO
ADRIANO CONRADO
SUPER SÃO JOSÉ
ART MÓVEIS
FICA EM CASA
FUNERÁRIA BOM PASTOR
RÁDIO SÃO JOSÉ
ELETRO CLIC
ROGÉRIO CALÇADOS
Tocando agora: Relembre bons momentos
Diminuir/Aumentar Fonte: Fonte: A - A +