Política

Leite é notificado por órgãos federais a revogar flexibilização do isolamento horizontal

Documento prevê que o Estado deverá abster-se de promover novo relaxamento das medidas para conter a Covid-19
31/03/2020 - 09h40min Corrigir

O governador Eduardo Leite foi notificado em caráter de urgência a retornar à normativa original que não permitia trabalho em atividades não essenciais, respeitando o isolamento horizontal. A Notificação Recomendatória Conjunta assinada pela Defensoria Pública da União (DPU), Ministério Público Federal (MPF) e Ministério Público do Trabalho (MPT) prevê que o Estado deverá abster-se de promover novo relaxamento das medidas de isolamento e distanciamento social sem motivação por critérios técnico-científicos.

O chefe do Executivo do Rio Grande do Sul, em 19 de março, editou o Decreto nº 55.128/2020, declarando o estado de calamidade pública em todo o território gaúcho para fins de prevenção e de enfrentamento à pandemia de Covid-19. Seguindo as diretrizes de isolamento e distanciamento social propostas pela Organizaçã Mundial da Saúde e pela comunidade científica, Leite determinou a suspensão de diversas atividades públicas e privadas, à exceção das atividades essenciais

"Ocorre que, após o Decreto originário, o Decreto n. 55.149/2020, sem qualquer justificativa técnico-científica, alterou o dispositivo do art. 3º, III, para excluir a determinação de proibição das atividades e dos serviços privados não essenciais, colocando em risco a saúde individual e coletiva por decorrência direta do relaxamento nas medidas de isolamento internacionalmente recomendadas", lê-se na Notificação Recomendatória 

Os órgãos ainda apontam que o governo estadual deve orientar aos municípios sobre necessidade de manutenção das medidas de isolamento e dos parâmetros legais existentes a respeito do tema. "Em face da inconstitucionalidade e da injuridicidade dos incisos alterados pelo decreto, sua permanência no mundo jurídico acarretará necessidade da Defensoria Pública da União e dos Ministérios Públicos adotarem medidas cabíveis para a sua anulação", alertam. As entidades fixaram prazo de 24 horas para o atendimento da notificação e das requisições.

Também foram requisitadas ao governador cópias de todas informações técnicas que embasaram a expedição do novo decreto, bem como informações quanto a todas as medidas de fiscalização a serem tomadas para o seu cumprimento, com referência à forma de responsabilização de eventuais infratores.

DPU, MPF e MPT ainda pediram informações sobre a implantação de procedimentos de testagem de todos casos suspeitos, independentemente de sua gravidade. A medida busca integrar critérios técnicos necessários para relaxamento das medidas de isolamento e distanciamento social.

MAIS NOTÍCIAS

GRUPO WHATSAPP
ART MÓVEIS
SUPER SÃO JOSÉ
FUNERÁRIA BOM PASTOR
GRÁFICA.COM
FUNERÁRIA CONCÓRDIA
BRICK DO TOMAZ
Petroman
RÁDIO SÃO JOSÉ
ROGÉRIO CALÇADOS
OLIDATA
ELETRO CLIC
FUNERÁRIA CAMAQUENSE
ADRIANO CONRADO
Tocando agora: Relembre bons momentos
Diminuir/Aumentar Fonte: Fonte: A - A +