Saúde

OMS considera "especulativas" declarações dos EUA sobre origem do coronavírus

Norte-americanos afirmam que há provas de que a doença surgiu em um laboratório em Wuhan
05/05/2020 - 09h07min Corrigir

A Organização Mundial da Saúde (OMS) descreveu nesta segunda-feira como "especulativas" as declarações das autoridades americanas que afirmam ter provas de que o novo coronavírus surgiu em um laboratório na cidade chinesa de Wuhan.

"Não recebemos nenhum dado nem prova específica do governo americano sobre a suspeita origem do vírus, portanto, para nós continua sendo especulativo", declarou Michael Ryan, diretor de emergências da organização, em coletiva de imprensa virtual, na sede da OMS em Genebra.

Após acusar a China de ter omitido a emergência e a propagação do novo coronavírus, Washington afirma que possui "provas" de que o vírus surgiu em um laboratório em Wuhan, e o presidente Donald Trump ameaçou Pequim com "tarifas punitivas".

Apesar de os serviços secretos americanos considerarem que o novo coronavírus não foi artificialmente criado nem geneticamente modificado, embora não excluam formalmente que possa ter se originado em um laboratório, o secretário de Estado americano, Mike Pompeo, disse no domingo que havia um "número significativo" de provas no sentido contrário.

"Como toda organização que se baseia em evidências, gostaríamos de receber todas as informações sobre a origem do vírus (...) Se estes dados e estas provas estiverem disponíveis, cabe ao governo americano decidir se pode compartilhá-las, e quando, mas é difícil para a OMS se pronunciar em ausência de informação" que sustente esta hipótese, disse Michael Ryan.

"Nos concentramos nas provas que temos e as provas que temos são do sequenciamento e de tudo o que nos foi transmitido (e) dizem que o vírus é de origem natural", declarou. "A ciência deve estar no centro. A ciência encontrará as respostas", enfatizou este funcionário da agência sanitária da ONU.

Os cientistas estimam que o vírus passou de animais para humanos na China no final do ano passado, possivelmente em um mercado na cidade de Wuhan, famoso por oferecer carnes exóticas e animais vivos.

O epidemiologista americano Anthony Fauci, um dos principais nomes da equipe especial reunida pela Casa Branca para enfrentar a epidemia, defendeu essa tese em entrevista publicada na segunda-feira pela National Geographic. "Se você observar a evolução do vírus nos morcegos e o que temos agora (a evidência científica) é muito, muito forte que não poderia ter sido artificial e deliberadamente manipulado", declarou.

MAIS NOTÍCIAS

RÁDIO SÃO JOSÉ
SUPER SÃO JOSÉ
FUNERÁRIA CONCÓRDIA
GRUPO WHATSAPP
SKY INFOPARTNERS
LAVAGEM FERNANDES
FUNERÁRIA BOM PASTOR
BRICK DO TOMAZ
OLIDATA
ELETRO CLIC
ADRIANO CONRADO
Petroman
ROGÉRIO CALÇADOS
FUNERÁRIA CAMAQUENSE
ART MÓVEIS
Tocando agora: Relembre bons momentos
Diminuir/Aumentar Fonte: Fonte: A - A +