Saúde

Casos suspeitos em monitoramento e coletas para testagem da covid-19 aumentam em Camaquã

Último boletim epidemiológico foi publicado pela Secretaria da Saúde no começo da noite dessa terça-feira (19)
20/05/2020 - 09h35min Corrigir

A Secretaria da Saúde de Camaquã divulgou nessa terça-feira (19) mais uma atualização sobre a incidência da covid-19 no município. De acordo com as informações que constam no boletim epidemiológico, houve um crescimento dos casos monitorados e também das coletas.  

No dia 16 de maio, eram 35 pessoas que estavam sendo acompanhadas pela equipe da Vigilância em Saúde e a secretaria havia coletado o material genético de 39 pacientes para serem analisados no Laboratório Central do Estado (Lacen/RS). Ontem, foram registradas 48 coletas e 47 casos monitorados.  

Desses oito novos materiais coletados, cinco ainda aguardam resultado do teste. Ao total, 43 suspeitas de contaminação pelo novo coronavírus já foram descartadas, segundo os dados divulgados. O município segue com cinco casos confirmados até o momento, sendo um notificado fora de Camaquã e os outros quatro por testagem rápida.  

Lembrando que os casos monitorados são daquelas pessoas que apresentaram algum sintoma leve da covid-19 e procuraram a Secretaria da Saúde ou as tendas montadas tanto no Hospital Nossa Senhora Aparecida (HNSA) quanto junto à Unidade de Pronto Atendimento (UPA). Para esses pacientes, é orientado que seja cumprido o isolamento domiciliar e equipes de saúde passam a acompanhar o quadro clínico de cada um, a fim de saber se haverá uma evolução ou não dos sintomas. Se sim, as medidas necessárias são tomadas. Dependendo, poderá haver internação, se a evolução for para uma sintomatologia mais grave, e é realizada a coleta de material para testagem. 

Histórico da covid-19 em Camaquã

O primeiro caso confirmado de covid-19 em Camaquã foi anunciado no dia 24 de abril. Tratava-se de um homem de 58 anos, que coletou material genético para análise e testou positivo para a doença em Porto Alegre, onde também cumpriu o período de recuperação da covid. Mesmo tendo sido considerado recuperado, o paciente veio para Camaquã e ficou em isolamento domiciliar por ser do grupo de risco (ele tratava um câncer de pulmão). Infelizmente, complicações no seu quadro clínico fizeram com que ele viesse a óbito em 6 de maio, vítima do câncer. 

Mais três casos foram notificados no dia 13 de maio. Duas mulheres e um homem na faixa etária dos 30, 50 e 60 anos, sendo que apenas um paciente apresentou sintomas leves, enquanto os outros dois foram assintomáticos. A infecção pelo novo coronavírus nos três casos se deu através de contato direto com um paciente positivo, o qual não foi informado de onde é, mas nenhum desenvolveu quadro clínico grave.  Conforme disse o secretário da Saúde, Fabiano Martins, não é possível apontar há quanto tempo ocorreu o contato dos pacientes com o vírus. Apenas o que pode ser afirmado é que todos são considerados recuperados da covid-19, já que cumpriram a quarentena e não apresentaram evolução da doença. 

O quinto caso positivo foi confirmado no último domingo (17), também por teste rápido, concluindo que a pessoa teve contato com o vírus em algum momento, mas foi assintomática para a covid. A delimitação de um raio para estudo foi essencial para a Secretaria de Saúde compreender a transmissão local do vírus. Todo o trabalho desenvolvido para delimitar o quanto o vírus circulou no município foi acompanhado pela prefeitura para que, assim, o prefeito Ivo de Lima Ferreira pudesse tomar todas as medidas sanitárias necessárias. 

Fim das subnotificações e ampliação do grupo da testagem rápida  

No começo da noite da sexta-feira (15), a Secretaria Estadual da Saúde incluiu os três últimos casos confirmados de covid-19 em Camaquã e se igualou aos dados da Secretaria Municipal de Saúde. Para diminuir a subnotificação da doença, foi realizada uma força-tarefa pelo Centro Estadual de Vigilância em Saúde (Cevs) para entrar em contato com os municípios que possuem casos confirmados e concluir corretamente a inserção dos dados. Isso se deu através de uma portaria publicada na edição especial de hoje do Diário oficial do Estado (DOE) que tem por finalidade diminuir a diferença de casos confirmados da doença pelos municípios e pelo Estado.  

A Portaria torna os serviços de saúde da rede pública e privada do Rio Grande do Sul obrigados a notificar imediatamente ao Estado todos os casos de Síndrome Gripal, hospitalizações e óbitos por SRAG e os resultados de todos os testes rápidos de qualquer procedência.  

E desde a quarta-feira passada, foram ampliados os grupos de pessoas que poderão realizar o teste rápido. Conforme o Centro de Operações de Emergência da Secretaria de Saúde também serão testados quem tem mais de 50 anos e profissionais que trabalham com transporte de cargas ou coletivo de passageiros, desde que apresentem sintomas da covid-19. Além desses, os familiares e demais pessoas que moram com pacientes infectados, incluindo as situações quando se identifica um caso em instituições de longa permanência de idosos (ILPI), entram nesta lista. 

MAIS NOTÍCIAS

LAVAGEM FERNANDES
RÁDIO SÃO JOSÉ
SUPER SÃO JOSÉ
GRUPO WHATSAPP
Petroman
OLIDATA
SKY INFOPARTNERS
FUNERÁRIA BOM PASTOR
ART MÓVEIS
BRICK DO TOMAZ
ELETRO CLIC
FUNERÁRIA CAMAQUENSE
ADRIANO CONRADO
ROGÉRIO CALÇADOS
FUNERÁRIA CONCÓRDIA
Tocando agora: Relembre bons momentos
Diminuir/Aumentar Fonte: Fonte: A - A +