Geral

Camaquã e região permanecem na bandeira laranja na terceira etapa do distanciamento controlado

Mesmo com o aumento de casos confirmados de covid-19, município segue sem alteração nas restrições
23/05/2020 - 18h56min Corrigir

Neste sábado (23), o Governo do Rio Grande do Sul realizou a terceira atualização do distanciamento controlado e a maior parte do território gaúcho segue nas bandeiras amarela e laranja, com risco epidemiológico médio a baixo para o novo coronavírus. Nesta semana, que irá da segunda-feira (25) até o domingo (31), 12 de um total de 20 regiões foram classificadas com a bandeira laranja no levantamento. Na rodada anterior, eram 15 nesta situação.  

A principal mudança é em três regiões que estavam com cor laranja e tiveram nível de restrição reduzido. Uruguaiana, Capão da Canoa e Santa Cruz do Sul recebem a bandeira amarela nesta fase. Agora, o Estado passa a ter oito regiões com risco baixo. E o RS permanece sem bandeira vermelha (risco alto) ou preta (risco altíssimo).

Mesmo com o aumento de casos confirmados da covid-19 nesta semana, a situação de Camaquã e dos demais municípios da região não muda em relação às outras duas rodadas do distanciamento social controlado. Ou seja, permanecem na bandeira laranja, o que significa um dos dois cenários: média capacidade do sistema de saúde e baixa propagação do novo coronavírus ou alta capacidade do sistema de saúde e média propagação do vírus. 

Camaquã, Arambaré, Dom Feliciano, Barão do Triunfo, Mariana Pimentel, Cerro Grande do Sul, Guaíba, Chuvisca, Sentinela do Sul, Tapes e Sertão Santana fazem parte do agrupamento de Porto Alegre (R09 e R10). Cristal, Amaral Ferrador e São Lourenço do Sul estão no agrupamento de Pelotas (R21). Acesse o site do distanciamento social controlado e saiba o que e como pode funcionar cada setor econômico de Camaquã e região, conforme as diretrizes do decreto de distanciamento social controlado. Basta digitar o nome do município na busca, selecionar o setor e fazer download do material explicativo. No portal, também é possível saber mais detalhes sobre o plano.

Mudanças

A mudança anunciada durante a semana pelo governador Eduardo Leite no cálculo do Distanciamento Controlado, que seria adotada somente a partir da próxima rodada, já foi aplicada neste sábado. Com isso, apenas os casos de covid-19 que geraram hospitalização foram usados para medir a propagação do vírus levando em consideração os seus locais de residência. 

Até então, o governo vinha usando todos os casos confirmados por testes RT-PCR para medir dois dos 11 indicadores usados no cálculo de risco: velocidade do avanço, que mede o número de novos casos confirmados em relação aos casos anteriores, e incidência de novos casos na população, que mede os novos casos nos últimos sete dias para cada 100 mil habitantes.  

No entanto, o dado vinha gerando distorções entre as regiões, aumentando o nível de risco e de restrição para aquelas que vinham realizando um número maior de testes. Por isso, segundo Leite, foi necessário antecipar a alteração, que foi levada ao grupo técnico de saúde do Comitê de Análise de Dados, tendo sido estudada e avalizada por especialistas. 

“Com a mudança, melhoramos a comparabilidade entre as regiões, porque a definição de hospitalização por SRAG é mais estável do que os exames aplicados pelos municípios e a notificação é compulsória, ou seja, o exame tem de ser obrigatoriamente lançado no sistema, não oferecendo possibilidade de que uma redução ou aumento na testagem ou a subnotificação impactem no cálculo. Com isso, temos um resultado mais fiel ao que efetivamente está acontecendo no RS e podemos aplicar restrições na proporção necessária”, afirmou Leite. 

No território gaúcho como um todo, a terceira rodada do modelo de distanciamento controlado trouxe as seguintes alterações nas duas semanas:

• O número de internados em UTI por SRAG (Síndrome Respiratória Aguda Grave) aumentou 7,56% no Estado entre as duas últimas sextas-feiras (225 para 242);
• O número de internados em leitos clínicos com covid-19 no RS aumentou 18,50% entre as duas últimas sextas-feiras (173 para 205);
• O número de internados em leitos de UTI com covid-19 no RS reduziu 3,10% entre as duas últimas sextas-feiras (129 para 125);
• O número de leitos de UTI adulto disponíveis para atender Covid-19 no RS aumentou 6,85% entre as duas últimas sextas-feiras (de 467 para 499);
• O número de óbitos por covid-19 aumentou 13,3% entre as duas últimas semanas (de 30 para 34).

Histórico da covid-19 em Camaquã

O primeiro caso confirmado de covid-19 em Camaquã foi anunciado no dia 24 de abril. Tratava-se de um homem de 58 anos, que coletou material genético para análise e testou positivo para a doença em Porto Alegre, onde também cumpriu o período de recuperação da covid. Mesmo tendo sido considerado recuperado, o paciente veio para Camaquã e ficou em isolamento domiciliar por ser do grupo de risco (ele tratava um câncer de pulmão). Infelizmente, complicações no seu quadro clínico fizeram com que ele viesse a óbito em 6 de maio, vítima do câncer. 

Mais três casos foram notificados no dia 13 de maio. Duas mulheres e um homem na faixa etária dos 30, 50 e 60 anos, sendo que apenas um paciente apresentou sintomas leves, enquanto os outros dois foram assintomáticos. A infecção pelo novo coronavírus nos três casos se deu através de contato direto com um paciente positivo, o qual não foi informado de onde é, mas nenhum desenvolveu quadro clínico grave.  Conforme disse o secretário da Saúde, Fabiano Martins, não é possível apontar há quanto tempo ocorreu o contato dos pacientes com o vírus. Apenas o que pode ser afirmado é que todos são considerados recuperados da covid-19, já que cumpriram a quarentena e não apresentaram evolução da doença. 

O quinto caso positivo foi confirmado no domingo (17), também por teste rápido, concluindo que a pessoa teve contato com o vírus em algum momento, mas foi assintomática para a covid. A delimitação de um raio para estudo foi essencial para a Secretaria de Saúde compreender a transmissão local do vírus. 

Até o momento, Camaquã está com nove diagnósticos positivos do novo coronavírus. Os dois últimos casos foram confirmados na tarde dessa sexta-feira (22). No decorrer desta semana, surgiram mais quatro casos: o de um homem de 49 anos, caminhoneiro, que estava viajando a trabalho para Goiás, mas que já havia se infectado quando viajou; e o de um menino de 8 anos, do ciclo social deste homem e que já é considerado recuperado; e mais duas pessoas que também realizaram teste rápido, o qual indicou contato com o vírus, e estão sendo acompanhados por uma equipe da Vigilância Epidemiológica. Todos os casos já estão contabilizados no painel da Secretaria Estadual da Saúde, que pode ser conferido aqui.

Com informações da Secom RS

MAIS NOTÍCIAS

OLIDATA
ROGÉRIO CALÇADOS
ART MÓVEIS
PADARIA ESTRELA
SUPER SÃO JOSÉ
FUNERÁRIA BOM PASTOR
ADRIANO CONRADO
ELETRO CLIC
FUNERÁRIA CAMAQUENSE
DIGA NÃO!
RESTAURANTE COME COME
Tocando agora: Relembre bons momentos
Diminuir/Aumentar Fonte: Fonte: A - A +