Mundo

Contra o coronavírus, ONU pede vacina acessível a todos

Reunião da organização arrecadou 8,8 bilhões de dólares para imunização
04/06/2020 - 15h18min Corrigir

O secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, pediu nesta quinta-feira uma "vacina do povo" contra o coronavírus que, uma vez desenvolvida, deve estar disponível para todos no planeta. A declaração foi feita durante uma reunião virtual internacional que arrecadou 8,8 bilhões de dólares para a Aliança para a Vacina (GAVI).

"Uma vacina contra a Covid-19 deve ser vista como um bem público mundial, uma vacina para o povo", afirmou o português em uma mensagem de vídeo, na qual destacou que muitos líderes mundiais se declararam a favor da ideia.

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, que não participa da reunião ao vivo, enviou um discurso gravado. "Como o coronavírus mostrou, ele não tem fronteiras, não discrimina", afirmou. "É ruim, é nojento, mas vamos lidar com isso juntos", acrescentou.

Com a participação de mais de 50 países e de cerca de 35 chefes de Estado e de Governo, esta cúpula buscava arrecadar 7,4 bilhões de dólares (6,6 bilhões de euros) para que a GAVI possa continuar suas campanhas mundiais de vacinação contra doenças como sarampo, poliomielite, ou febre tifoide, interrompidas pela pandemia de Covid-19.

"Juntos reabastecemos essa aliança (...) asseguramos 8,8 bilhões de dólares para o trabalho vital da GAVI durante os próximos cinco anos", anunciou o anfitrião, Boris Johnson.

O Reino Unido é o maior contribuinte, com 1,65 bilhão de libras (1,85 bilhão de euros, 2,08 bilhões de dólares) prometidos para o período 2021-2025, seguido pela Fundação Gates com 1,6 bilhão de dólares.

Os Estados Unidos prometeram 1,1 bilhões de dólares, Noruega 1 bilhões de dólares, França 500 milhões de euros, Espanha 50 milhões de euros e China 20 milhões de dólares, entre outros.

Unir a humanidade

A cooperação mundial contra a pandemia também foi o desejo manifestado pelo anfitrião, o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson: "Espero que esta cúpula seja o momento em que o mundo se junte para unir a humanidade na luta contra a doença".

"Peço que se juntem a nós no fortalecimento dessa aliança que salva vidas", insistiu Johnson, cujo país é o segundo mais afetado pelo coronavírus, com quase 40.000 mortes confirmadas.

Até agora, o Reino Unido é o maior colaborador da GAVI, com 1,65 bilhão de libras (2,08 bilhões de dólares) prometidos pelos próximos cinco anos.

Muitas empresas farmacêuticas estão dispostas a disponibilizar sua capacidade de produção assim que uma vacina for desenvolvida, disse o bilionário americano Bill Gates, cuja fundação é muito ativa nessa área.

Isso é essencial para garantir que tantas pessoas quanto possível tenham acesso à vacina, assim que for encontrada, disse o filantropo à BBC.

"Quando tivermos uma vacina, queremos desenvolver a imunidade coletiva" e, para isso, devemos garantir que ela seja administrada a "mais de 80% da população mundial", acrescentou, reconhecendo que os rumores e as teorias conspiratórias que correm nas redes sociais podem minar esse objetivo.

Poder monopolista

A cúpula da GAVI é realizada em um momento delicado, em que a pandemia exacerbou os ataques contra o multilateralismo, em meio à ruptura de Trump com a Organização Mundial da Saúde (OMS) e ao medo de que os Estados Unidos assumam o controle sobre futuras vacinas.

"É de grande importância, e estamos conseguindo que haja consenso e apoio internacional em todo mundo para encontrar uma vacina e fornecê-la a todos os vulneráveis, porque ninguém estará seguro até que todos estejam", disse à AFP a ministra britânica do Desenvolvimento Internacional, Anne-Marie Trevelyan.

Anna Marriott, responsável pela área de saúde da organização não-governamental Oxfam, aplaudiu o estabelecimento de um novo fundo para ajudar os países em desenvolvimento a acessarem uma futura imunização contra a Covid-19.

Em uma nota, ela enfatizou, porém, que "a GAVI e os governos que a financiam devem primeiro enfrentar o poder monopolista da indústria farmacêutica que impede a vacina para o povo".

"O dinheiro dos contribuintes deve ser investido em vacinas e tratamentos isentos de royalties e disponíveis para todas as nações a preço de custo", insistiu.

Como prevenir o contágio do novo coronavírus

De acordo com recomendações do Ministério da Saúde, há pelo menos cinco medidas que ajudam na prevenção do contágio do novo coronavírus:

• lavar as mãos com água e sabão ou então usar álcool gel.

• cobrir o nariz e a boca ao espirrar ou tossir.

• evitar aglomerações se estiver doente.

• manter os ambientes bem ventilados.

• não compartilhar objetos pessoais.

MAIS NOTÍCIAS

PADARIA ESTRELA
ROGÉRIO CALÇADOS
SUPER SÃO JOSÉ
ELETRO CLIC
ART MÓVEIS
ADRIANO CONRADO
MÁRIO SERRALHEIRO
OLIDATA
FUNERÁRIA BOM PASTOR
RESTAURANTE COME COME
FUNERÁRIA CAMAQUENSE
Mais Lidas
PADARIA ESTRELAROGÉRIO CALÇADOSSUPER SÃO JOSÉ
ELETRO CLICART MÓVEISADRIANO CONRADOMÁRIO SERRALHEIROOLIDATAFUNERÁRIA BOM PASTORRESTAURANTE COME COMEFUNERÁRIA CAMAQUENSE
Tocando agora: Relembre bons momentos
Diminuir/Aumentar Fonte: Fonte: A - A +