Cultura

Secretaria Estadual da Cultura apresenta programação on-line no Mês do Orgulho LGBT

Programação será transmitida nos perfil da Sedac no Facebook e no Instagram
10/06/2020 - 15h16min Corrigir

No mês em que se celebra o Orgulho LGBT, a Secretaria da Cultura (Sedac) prepara uma programação especial on-line. O cardápio cultural faz parte do projeto Cultura e Diversidade, cujo objetivo é promover a visibilidade LGBT e destacar a ocupação de espaços e a necessidade de combater a LGBTfobia.

A programação foi pensada em conjunto pelas assessorias de Diversidade e de Culturas Populares, Tradição e Folclore, em parceria com Instituto Estadual de Cinema (IECine), Cinemateca Paulo Amorim, Biblioteca Pública do Estado (BPERS), Museu de Arte do Rio Grande do Sul (Margs), Instituto Estadual de Artes Visuais (IEAVi), Museu de Arte Contemporânea (MACRS) e Museu da Comunicação Hipólito José da Costa (MuseCom).

“Além de celebrar a diversidade sexual, as ações desenvolvidas vêm reafirmar o compromisso da secretaria na busca por diálogo, reflexão e sensibilização, por meio da arte e da cultura. É preciso ampliar espaços de reconhecimento, estimular a liberdade, espalhar o amor e contribuir para a construção de um mundo plural”, reflete a assessora de Diversidade da Sedac, Gabriella Meindrad.

Atividades

• Segundas-feiras: dicas de leitura (a partir do dia 15), às 12 horas
• Terças e quintas-feiras: lives, às 19 horas
• Sextas-feiras: dicas de cinema, às 17 horas

Toda a programação será transmitida nos perfis da Sedac no Facebook no Instagram com exceção das lives, que serão transmitidas apenas pelo Instagram.

Orgulho LGBT

O Dia Internacional do Orgulho LGBT é comemorado anualmente em 28 de junho, no mundo todo. A data lembra um dos episódios mais marcantes da luta da comunidade gay por seus direitos, a Rebelião de Stonewall, ocorrida em 1969 em Nova York. Esse fato representa o “marco zero” do movimento de igualdade civil dos LGBTs no século 20. Naquela data, a comunidade LGBT se rebelou contra uma série de invasões da polícia ao bar Stonewall, frequentado predominantemente por homossexuais, que eram presos e sofriam represálias por parte das autoridades.

Brasil

O Brasil é o país que mais mata LGBTs no mundo. A cada 23 horas, um LGBT é vítima de algum tipo de violência. Estima-se que 40% das mortes violentas da população de travestis e transexuais do mundo ocorram no Brasil, com uma vítima a cada 48 horas, de acordo com uma pesquisa mantida pelo Grupo Gay da Bahia.

Programação

Dicas de leitura | Biblioteca Pública do Estado

• A garota dinamarquesa, de David Ebershoff
• Amora, de Natalia Borges Polesso
• Apartamento 41, de Nelson Luiz de Carvalho
• Azul é a cor mais quente, de Julie Maroh
• Com amor, Simon, de Becky Albertalli
• E se eu fosse puta, de Amara Moira
• Me chame pelo seu nome, de André Aciman
• Nós, de Elle kannedy e Sarina Bowen
• O fim de Eddy, de Édouard Louis
• O quarto de Giovanni, de James Baldwin
• O terceiro travesseiro, de Nelson Luiz de Carvalho
• Onde andará Dulce Veiga, de Caio Fernando Abreu
• Outro dia, de David Levithan
• Stella Manhattan, de Silvano Santiago
• Todo dia, de David Levithan
• Um útero é do tamanho de um punho, de Angélica Freitas

Lives

16 de junho (terça-feira)
Diversidade étnica e cultural gaúcha: dos nossos primeiros habitantes à pluralidade atual
Anderson Hartmann – jornalista, dançarino de invernada, declamador e intérprete premiado em diversos concursos.

18 de junho (quinta-feira)
Crimes de intolerância e a atuação da Delegacia de Proteção ao Idoso e Combate à Intolerância
Débora Dias – delegada de Polícia, titular da Delegacia de Proteção ao Idoso e Combate à Intolerância, de Santa Maria.

23 de junho (terça-feira)
Cultura LGBT: produções de si como forma de resistência
Sandro Ka – artista visual e pesquisador; doutorando e mestre em Artes Visuais (PPGAV/UFRGS), especialista em Ética e Educação em Direitos Humanos (FACED/UFRGS).

25 de junho (quinta-feira)
Direitos da população LGBT como forma de promoção cultural e inclusão social
Alberto Barreto Goerch – advogado e professor universitário, doutorando em Diversidade Cultural e Inclusão Social pela Universidade Feevale, presidente da Comissão da Diversidade Sexual e de Gênero da OAB/Subseção de Santa Maria.

29 de junho (segunda-feira)
Como promover a cultura da paz por meio da comunicação empática
Isabel Cristina Martins – facilitadora de Procedimentos Restaurativos, formação em Comunicação Não-Violenta, especialista em Direitos da Criança e do Adolescente e professora universitária.

30 de junho (terça-feira)
Resistir para existir
Glória Cristal – diretora da Diversidade Sexual da 12ª Bienal do Mercosul, atriz, militante do movimento LGBT, apresentadora da Parada de Luta de Porto Alegre; primeira travesti a ocupar o cargo de secretária adjunta da Livre Orientação de Porto Alegre.

Dicas de cinema | IECine e Cinemateca Paulo Amorim 

12 de junho (sexta-feira)
Flores raras, de Bruno Barreto (2013)
Hoje eu quero voltar sozinho
, de Daniel Ribeiro  (2014)
Tomboy, de Céline Sciamma (2012)

19 de junho (sexta-feira)
Divinas divas, de Leandra Leal (2016)
Moonlight: sob a luz do luar, de Barry Jenkins (2017)
Transamérica, de Duncan Tucker (2005)

26 de junho
A garota dos meus sonhos, de Sue Kramer (2006)
Praia do Futuro, de Karim Aïnouz (2014)
Stonewall – A luta pelo direito de amar, de Nigel Finch (1995)

Lives | Museu da Comunicação Hipólito José da Costa

26 de junho, 15 horas
A luta pela diversidade na comunicação e na memória
No canal MuseCom no Youtube

28 de junho, 17 horas
Lançamento da atividade educativa “Comunicação e linguagem inclusiva”
No Instagram e Facebook

30 de junho, 21 horas
Edição especial do Cinedebate no CineClube Musecom, com exibição do filme Questão de gênero
Para participar, é necessário fazer contato pelo e-mail [email protected]

Margs

O Museu de Arte do Rio Grande do Sul publicará em suas redes sociais (@museumargs) o projeto (in)visibilidade das artistas lésbicas nas artes visuais, em parceria com a pesquisadora e artista Lívia Auler. Posts e stories apresentarão informações sobre artistas e representações lésbicas e as questões de invisibilidade que permeiam o tema.

MACRS

O Museu de Arte Contemporânea apresentará durante o mês de junho obras de artistas LGBT, com o objetivo de reafirmar a importância de representatividade da comunidade em acervos de instituições públicas do Estado. O museu convidou quatro artistas para refletir sobre a pergunta "o que significa a palavra orgulho para você?". As respostas e obras dos participantes serão divulgadas semanalmente no Instagram da instituição.

No dia 28 de junho, às 16 horas, o museu promove a live Vidas LGBT importam, com a cantora, poeta e transexual Valéria Barcellos. A transmissão também ocorre pelo Instagram do MACRS.

MAIS NOTÍCIAS

FAMOSOS
FUNERÁRIA BOM PASTOR
OLIDATA
ROGÉRIO CALÇADOS
ADRIANO CONRADO
ELETRO CLIC
RÁDIO SÃO JOSÉ
SUPER SÃO JOSÉ
FUNERÁRIA CAMAQUENSE
ART MÓVEIS
PADARIA ESTRELA
RESTAURANTE COME COME
Tocando agora: Relembre bons momentos
Diminuir/Aumentar Fonte: Fonte: A - A +