Entretenimento

Grandes clássicos do cinema dos anos 1990 para assistir na Netflix

Confira!
01/07/2020 - 15h47min Corrigir

A década de 1990 foi um marco importante na história do cinema. Além de ter revelado vários profissionais da indústria cinematográfica que atualmente compõem boa parte da prateleira de cima do cinema contemporâneo, foi um período em que o setor recebeu significativas melhorias também no aspecto tecnológico – levando a uma nova era de efeitos especiais nas telonas.

Além de tudo que foi mencionado acima, o cinema dos anos 1990 também promoveu produções emocionantes que até mesmo nos dias de hoje são destaques em muitos catálogos de streaming, como da Netflix.

Portanto, destacamos três grandes histórias cinematográficas dos anos 1990 — de gêneros distintos — para assistir no atual catálogo da Netflix: “Forrest Gump”, “Cassino” e “O Show de Truman: O Show da Vida”.

Forrest Gump (1994)

Lançado nos cinemas em 1994, há mais de duas décadas portanto, “Forrest Gump” já pode ser considerado um clássico. Não por acaso, a produção protagonizada por Tom Hanks é considerada um dos melhores filmes de todos os tempos na opinião de muitos críticos.

O sucesso de “Forrest Gump” foi refletido nas premiações que o longa-metragem recebeu, como Oscar de Melhor Filme, Oscar de Melhor Diretor para Robert Zemeckis e Oscar de Melhor Ator para Tom Hanks — e tantas outras honrarias e indicações em outros festivais de cinema.

Na trama, o personagem Forrest Gump (Tom Hanks) é um homem com QI de 75 e que tem uma ligeira dificuldade de interpretar algumas situações no dia a dia. No entanto, apesar dele ser intimidado por algumas pessoas devido à sua condição especial, ele consegue não deixar que isso comprometa a sua vida e encontra maneiras de superar as barreiras.

Além disso, “Forrest Gump” se passa nas décadas de 1950, 1960, 1970 e 1980, quando os Estados Unidos viveram diversas transformações como país. Dentro desse contexto no enredo do filme, o interessante é que o personagem interpretado por Tom Hanks testemunha várias dessas mudanças na cultura e história estadunidense.

Cassino (1995)

Considerado um clássico do cinema quando o assunto são filmes que remetem a Las Vegas, “Cassino” faz parte de um relevante contexto histórico dos cassinos em produções cinematográficas. Além de contar com um elenco estelar, o longa-metragem de 1995 é dirigido pelo diretor norte americano Martin Scorsese — vencedor do Oscar de Melhor de Diretor em 2007, com “Os Infiltrados”.

O filme é baseado no livro homônimo de Nicholas Pileggi, que co-escreveu o roteiro com Scorsese. No enredo, Sam 'Ace' Rothstein (Robert De Niro) e Nicky Santoro (Joe Pesci) são amigos de infância que controlam Las Vegas. Os primeiros 30 minutos do filme narram muito bem o contexto dos personagens na trama, que faz parte de uma grande parte do processo de contar histórias ao longo da produção.

Outro ponto é que as oscilações na relação de amizade entre Sam e Nicky são divertidas, especialmente porque a narração é sempre acompanhada de cenas muito bem filmadas no glamour de Las Vegas. Também vale destacar que a esposa de Ace, Ginger McKenna (Sharon Stone), tem importante participação no rumo dos principais personagens da trama.

Por fim, a ótima atuação de Sharon Stone no filme rendeu a ela o Globo de Ouro de Melhor Atriz, além de uma indicação ao Oscar de Melhor de Atriz — que acabou nas mãos de Susan Sarandon.

O Show de Truman: O Show da Vida (1998)

Lançado em 1998 e com atuação impecável de Jim Carrey como protagonista, “O Show de Truman: O Show da Vida” marcou o gênero da comédia dramática ao se mostrar como engraçado e instigante ao mesmo tempo.

Dirigido por Peter Weir, a produção conta a história de Truman Burbank (Jim Carrey), um vendedor de seguros, que em dado momento descobre que a sua vida sempre foi monitorada e transmitida em rede nacional para a TV, 24 horas por dia, sem privacidade alguma — uma crítica à sociedade contemporânea.

Além de Jim Carrey no centro da trama, outro ator se destacou no filme. Ed Harris, que interpretou o personagem Christof, foi indicado ao Oscar de Melhor Ator Coadjuvante. O filme ainda recebeu mais indicações, Oscar de Melhor Diretor e Oscar de Melhor Roteiro Original, mas acabou ficando sem nenhuma estatueta.

Em entrevista para o site Collider, em janeiro deste ano, Jim Carrey fez uma comparação sobre como seria uma nova produção do filme nos dias de hoje, com toda a questão das redes sociais. “Eu acho que 'O Show de Truman' é algo que existe em um nível micro agora (no mundo atual). Era uma história contada em nível macro, mas agora todo mundo tem um canal com inscritos. Todo mundo tem seu próprio Show de Truman”, disse o ator.

MAIS NOTÍCIAS

MIX BEBIDAS
ART MÓVEIS
OLIDATA
FUNERÁRIA CAMAQUENSE
ADRIANO CONRADO
RÁDIO SÃO JOSÉ
SUPER SÃO JOSÉ
LAVAGEM FERNANDES
FUNERÁRIA BOM PASTOR
ROGÉRIO CALÇADOS
ELETRO CLIC
Tocando agora: Relembre bons momentos
Diminuir/Aumentar Fonte: Fonte: A - A +