Rural

70 aviões agrícolas com inseticidas estão preparados para possível chegada de nuvem de gafanhotos no RS

Insetos estão a 10 km da fronteira da Argentina com o Uruguai e a 100 km de Barra do Quaraí, no RS. Uso de agrotóxicos está liberado pelo Ministério da Agricultura
22/07/2020 - 17h38min Corrigir

O governo do Rio Grande do Sul se prepara para a possível chegada de uma nuvem de gafanhotos ao estado. Cerca de 70 aviões agrícolas usados para aplicação de inseticidas estão prontos para uso.

De acordo com o governo, o plano de combate aos insetos pode contar até, caso necessário, com cerca de 400 aviões para aplicar o agrotóxico contra a nuvem.

A medida é possível devido a declaração de emergência fitossanitária, feita pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), no RS e em SC. Os aviões deverão aplicar inseticidas que nunca foram usados no Brasil e que agora são permitidos.

As áreas de fronteira, onde há mais chance dos insetos aparecerem, já foram mapeadas e são monitoradas diariamente.

"O setor está colocando à disposição e garantindo técnicos, agrônomos, pilotos, toda equipe das empresas preparadas. E cabendo às autoridades brasileiras o fornecimentos dos produtos caso for necessário seu uso", diz o diretor-executivo do sindicato nacional das empresas de aviação agrícola, Gabriel Colle.

Segundo os sistemas de monitoramento do governo do estado, os insetos seguem se movimentando. Atualmente, eles estão a cerca de 10 km da fronteira da Argentina com o Uruguai. A distância até Barra do Quaraí, a cidade do RS mais próxima da fronteira, é de 100 km.

O risco de chegar ao Rio Grande do Sul ainda existe, já que em um dia a nuvem pode se locomover mais de 150 km. Os fatores que propiciam a movimentação são as temperaturas altas e os ventos favoráveis, de acordo com os órgãos oficiais.

A previsão do tempo para os próximos dias no estado indica uma queda na temperatura apenas a partir do fim de semana. Na sexta-feira (24), o vento deve virar e passar a soprar do Sul, o que cria condições para que o voo dos insetos seja direcionado ao estado.

 

Três nuvens

 

Até o momento, são três nuvens de gafanhotos localizadas na América do Sul, sendo duas na Argentina e uma no Paraguai.

A primeira nuvem foi localizada em maio, vinda do Paraguai para a Argentina. O fenômeno chamou a atenção de produtores brasileiros a partir da segunda quinzena de junho, quando passou a existir um risco real da entrada dos insetos no Brasil;

No dia 16 de julho, uma nova onda de insetos foi localizada no Paraguai e que se encontra atualmente na região do Chaco, muito próxima da divisa com o território argentino. Técnicos dos dois países monitoram o deslocamento dos gafanhotos;

Por fim, a terceira nuvem foi localizada pelo governo da Argentina nesta terça-feira, ainda existem poucas informações sobre esta onda de insetos.

MAIS NOTÍCIAS

FUNERÁRIA CAMAQUENSE
PADARIA ESTRELA
ART MÓVEIS
ADRIANO CONRADO
ROGÉRIO CALÇADOS
ELETRO CLIC
OLIDATA
RESTAURANTE COME COME
FUNERÁRIA BOM PASTOR
RÁDIO SÃO JOSÉ
SUPER SÃO JOSÉ
Tocando agora: Relembre bons momentos
Diminuir/Aumentar Fonte: Fonte: A - A +