Polícia

Mulher é presa por suspeita de tortura e maus-tratos contra criança de 7 anos em Canoas

Segundo a Polícia Civil, menina relatou que apanhava todos os dias e era castigada quando fazia xixi na cama ou quando não queria comer. Criança foi encaminhada a um abrigo
14/08/2020 - 15h20min Corrigir

Uma mulher foi presa, na manhã desta sexta-feira (14), por suspeita de tortura e maus-tratos contra uma criança de 7 anos em Canoas, na Região Metropolitana de Porto Alegre. Segundo o delegado Pablo Rocha, titular da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), a menina relatou que apanhava todos os dias e era castigada quando fazia xixi na cama.

Maria Hilamara Leoncio foi presa na casa onde morava com a menina, precisou ser atendida pelo Samu, e depois foi levada para a delegacia. Segundo a polícia, a suspeita não tem um advogado, e se manteve calada na delegacia.

A Defensoria Pública do RS informou ao G1 que não foi acionada no caso, e que não atua na fase do inquérito policial. "Caso nenhum advogado se apresente nos prazos estabelecidos pela legislação penal, caberá à Defensoria Pública atuar na defesa, tendo em vista as garantias constitucionais do contraditório e da ampla defesa", explica.

"E ela [a menina] nos esclarece que quando ela fazia xixi na cama, essa senhora colocava o rosto dela contra o colchão, mandava ela sugar o xixi para provar o gosto do que ela tinha feito, para ela não fazer xixi na cama", disse o delegado.

Uma conselheira tutelar, durante uma visita à casa onde a menina morava, encontrou a criança com um dos dedos dos pés roxo e um raspão na perna. A menina contou que tinha se machucado ao ser jogada contra uma parede de concreto. Segundo o Conselho Tutelar, ela também apresentava hematomas nas costas.

As lesões foram confirmadas por um médico-legista do Instituto-Geral de Perícias. A denúncia de maus-tratos foi levada pelos conselheiros à polícia. Na delegacia, a menina revelou os detalhes da violência, como quando era castigada na hora das refeições.

Conforme o delegado, a menina perdeu o contato com a mãe que, segundo a polícia, era moradora de rua e usuária de drogas. A criança passou, então, a viver com uma avó, que morreu. Depois, ela foi morar com uma amiga da idosa, que é a mulher investigada pelos maus-tratos.

"Meses terríveis que essa criança sofreu, infelizmente, essa senhora chegou a ter guarda legal da criança, conseguimos retirar, e a criança está em um abrigo hoje", afirma o delegado.

O delegado relatou ainda que quando a suspeita perdeu a guarda da criança, ela ficou descontrolada.

"Começa a ameaçar testemunhas, foi até o Conselho Tutelar, ameaçou conselheiros".

Segundo a polícia, a suspeita pode responder pelos crimes de tortura e coação, por ter ameaçado os conselheiros tutelares. Se condenada, pode pegar mais de 20 anos de prisão.

MAIS NOTÍCIAS

PADARIA ESTRELA
OLIDATA
RÁDIO SÃO JOSÉ
FUNERÁRIA BOM PASTOR
FUNERÁRIA CAMAQUENSE
ADRIANO CONRADO
ROGÉRIO CALÇADOS
ELETRO CLIC
ART MÓVEIS
SUPER SÃO JOSÉ
RESTAURANTE COME COME
Tocando agora: Relembre bons momentos
Diminuir/Aumentar Fonte: Fonte: A - A +