Polícia

PF desencadeia operação que investiga tráfico internacional de pessoas para exploração sexual no RS

Um mandado de busca e apreensão foi cumprido em Porto Alegre, além de um suspeito que acabou sendo preso na Europa
08/10/2020 - 18h02min Corrigir

Uma operação desencadeada pela Polícia Federal para investigar ocorrências de cárcere privado e tráfico internacional de pessoas para fim de exploração sexual resultou no cumprimento de um mandado de busca e apreensão em Porto Alegre e, também, na prisão de um suspeito na Europa no começo da noite dessa quarta-feira (7). Ele estava incluído na lista de “difusão vermelha” da Interpol e foi capturado em Minsk, capital de Belarus, país do Leste Europeu.

A ação recebeu o nome de Sedução. No total, foram apreendidos equipamentos eletrônicos, notebooks, mídias, anabolizantes e apetrechos para práticas de abusos sexuais.

Colaboraram nos trabalhos o Ministério das Relações Exteriores, por meio da Embaixada Brasileira em Minsk, e a Representação Regional da Interpol/PF em Porto Alegre. A investigação está sendo comandada pela Delegacia de Defesa Institucional da Polícia Federal em Porto Alegre.

Investigação

A PF chegou até o homem, de 30 anos, após ele se envolver com uma jovem, de 18, de Lajeado, mas que vive na Capital. O suspeito é natural de Florianópolis, porém, também residia em Porto Alegre.

Segundo o que foi apurado, a jovem conheceu o suspeito em um aplicativo de relacionamento na capital gaúcha. A partir daí, o homem começou a explorar a exposição da mulher em sites de vídeos pornográficos.

Em setembro, ele decidiu se mudar para a Tailândia, com o intuito de montar um estúdio por lá, e a jovem foi com ele. O voo tinha escala em Belarus, mas, por conta da covid-19, eles não conseguiram embarcar para a Tailândia. 

Foi aí que o suspeito resolveu instalar o estúdio em Belarus e aliciar meninas. A jovem se negou a participar do esquema. Ela, então, passou a ser agredida por ele, além de sofrer abusos psicológicos e sexuais. Porém, ela conseguiu fugir e procurar a embaixada do Brasil em Minsk. 

Segundo a PF, há indícios de que o preso produzia e divulgava vídeos de pornografia, e ganhava dinheiro com isso.

Com informações do G1 RS

MAIS NOTÍCIAS

ELETRO CLIC
DIGA NÃO!
PADARIA ESTRELA
ADRIANO CONRADO
ART MÓVEIS
ROGÉRIO CALÇADOS
FUNERÁRIA CAMAQUENSE
FUNERÁRIA BOM PASTOR
OLIDATA
SUPER SÃO JOSÉ
RESTAURANTE COME COME
Tocando agora: Relembre bons momentos
Diminuir/Aumentar Fonte: Fonte: A - A +