Economia

Entenda as diferenças e o que são o Renda Cidadã e o Renda Brasil

Programas sociais devem substituir o auxílio emergencial e o Bolsa Família
15/10/2020 - 10h17min Corrigir

O governo Jair Bolsonaro estuda a criação de um novo programa social que substitua o Bolsa Família. Já estamos em meados de outubro e o auxílio emergencial chega perto do fim, tendo suas últimas parcelas distribuídas em janeiro do ano que vem.

Desse modo, algumas propostas têm sido noticiadas nas editorias de economia dos últimos meses. Uma delas é a proposta do ministro da Economia, Paulo Guedes, sobre a criação do Renda Brasil, mas as formas polêmicas de financiamento (como o congelamento de aposentadorias, que voltou a ser pensada neste fim de semana), fizeram o programa ser descartado publicamente pelo presidente Bolsonaro.

Aí então veio a segunda proposta, o Renda Cidadã, cujo relator é o senador Márcio Bittar (MDB-AC), querendo usar precatórios e o Fundeb para aumentar a renda do novo programa social. Agora, as duas ideias, o Renda Cidadã e o Renda Brasil ainda estão sem conclusão sobre o financiamento e a implementação. Contudo, os dois "Rendas" são diferentes, e ambos podem entrar em vigor em 2021.

Em novembro os dois projetos devem ser finalizados, após as eleições municipais 2020. Atualmente, o Bolsa Família funciona juntamente com o auxílio emergencial, e segue sendo pago até o mês de janeiro de 2021.

Entenda as diferenças entre o Renda Cidadã e o Renda Brasil

Renda Cidadã: um programa de transição

O governo Bolsonaro quer colocar o Renda Cidadã em funcionamento em 2021, como uma continuidade melhorada do auxílio emergencial e do Bolsa Família.

Com isso, o Renda Cidadã será a transição para o Renda Brasil. Com o impasse sobre o financiamento do novo programa e a pressão do mercado para manter o teto de gastos, o Renda Cidadã implementado primeiro pode dar fôlego para a equipe de Paulo Guedes conseguir apoio para corte de despesas e encaixar o programa social dentro dos limites do teto.

Renda Brasil: um "pacotão" de programas sociais

O Renda Brasil deverá ser implementado apenas depois de sua reestruturação política. Isso porque ele vai reformular 27 programas sociais já existentes e, além disso, deve criar um novo imposto e dar fim a isenções federais do Imposto de Renda.

Segundo analistas de economia, o Renda Brasil é o programa de Guedes que já está pronto, mas falta coragem política para sua implementação.

Com informações de iG

MAIS NOTÍCIAS

ART MÓVEIS
ADRIANO CONRADO
SUPER SÃO JOSÉ
OLIDATA
ROGÉRIO CALÇADOS
ELETRO CLIC
DIGA NÃO!
PADARIA ESTRELA
FUNERÁRIA BOM PASTOR
FUNERÁRIA CAMAQUENSE
RESTAURANTE COME COME
Tocando agora: Relembre bons momentos
Diminuir/Aumentar Fonte: Fonte: A - A +