Economia

Pesquisadores da Furg relacionam índices de desigualdade econômica à covid-19

Segundo o artigo, taxas de infecção e morte pela doença são maiores em estados mais desiguais
16/10/2020 - 10h26min Secom Furg Corrigir

Um estudo liderado por pesquisadores da Universidade Federal do Rio Grande (Furg) relaciona os índices de desigualdade econômica ao aumento no risco de adoecimento e morte pela covid-19. O material foi publicado em forma de artigo na Revista Brasileira de Epidemiologia e pode ser acessado por meio deste link.

O professor Lauro Demenech, do Centro de Estudos sobre Risco e Saúde (Ceris), vinculado ao curso de Psicologia, explica o processo de pesquisa. Primeiramente, foram acessados os números sobre infecções e óbitos por Covid-19 dos dados oficiais brasileiros. "A partir disso, acompanhamos por 12 semanas as evoluções desses dados, calculando as taxas de incidências (risco de adoecer) e taxas de mortalidade (risco de morrer) para cada estado brasileiro", diz ele.

Paralelamente, os pesquisadores coletaram informações sobre o grau de desigualdade econômica de cada estado, disponibilizado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Por fim, compararam essas taxas para observar se havia diferença no risco de infecção e morte pelo vírus em função do tamanho da desigualdade econômica do estado onde a pessoa vive. "Em estados com maior desigualdade econômica, as taxas de infecção e morte por covid-19 foram maiores em todas as 12 datas incluídas, uma associação que se tornou cada vez mais forte com o tempo. Além disso, e o mais surpreendente, pudemos identificar que, apesar de haver agravamento da pandemia em todos os estados brasileiros no período avaliado, essa evolução foi mais acentuada/acelerada exatamente nesses estados mais desiguais", ressalta o pesquisador.

Os efeitos foram observados através de modelagens estatísticas temporais e espaciais, e se mantiveram mesmo quando levados em consideração aspectos como a densidade demográfica de um estado. O Rio Grande do Sul, por exemplo, é um dos estados brasileiros com menor desigualdade econômica, e, durante o período avaliado, apresentou alguns dos melhores índices no manejo da pandemia.

É importante destacar que o artigo indica que todas as pessoas que vivem em regiões mais desiguais estão sob maior risco de infecção e morte pela Covid-19. "Apesar de outros estudos já terem identificado que pessoas em maior desvantagem socioeconômica têm maior risco de adoecer e morrer pelo novo coronavírus, o que argumentamos no artigo é que a desigualdade econômica exerce um efeito como se fosse a poluição do ar. Todos pagam uma 'taxa de saúde' por viver em uma sociedade poluída, assim como todos pagam uma 'taxa' por viver em uma sociedade desigual. É possível que em estados mais desiguais, piores sejam as capacidades, especialmente dos órgãos públicos de reagir adequadamente a uma crise do tamanho dessa pandemia. Isso faz com que todos os seus cidadãos paguem por isso - apesar de o impacto ser maior entre os mais vulneráveis", declara o pesquisador.

Além do professor Demenech, outros dois pesquisadores da universidade participaram do estudo: os professores Lucas Neiva-Silva, também do Ceris, e Samuel C. Dumith, do Programa de Pós-graduação em Ciências da Saúde da Faculdade de Medicina (Famed).

Outras pesquisas relativas ao novo coronavírus são desenvolvidas pela equipe da Furg. A principal delas é a Mental Covid, cujo objetivo é medir o impacto da pandemia da Covid-19 na saúde mental da população, através de cinco subestudos. O professor Lauro Demenech é o coordenador geral de um desses subestudos, a pesquisa multicêntrica “Saúde e Bem-Estar na Graduação”, em âmbito nacional, envolvendo outras quatro universidades (Universidade Federal Fluminense, Universidade Federal do Mato Grosso, Universidade do Estado do Amazonas e Universidade Federal Rural de Pernambuco) sobre a saúde mental de estudantes de graduação no Brasil. Os pesquisadores ainda estão em período de coleta de dados, e a expectativa é divulgar os resultados no primeiro semestre de 2021.

MAIS NOTÍCIAS

FAMOSOS
RESTAURANTE COME COME
ART MÓVEIS
FUNERÁRIA BOM PASTOR
PADARIA ESTRELA
FUNERÁRIA CAMAQUENSE
RÁDIO SÃO JOSÉ
ADRIANO CONRADO
OLIDATA
ELETRO CLIC
SUPER SÃO JOSÉ
ROGÉRIO CALÇADOS
Tocando agora: Relembre bons momentos
Diminuir/Aumentar Fonte: Fonte: A - A +