Educação

Aulas presenciais na rede estadual do RS voltam nesta sexta-feira

Justiça acatou pedido da Procuradoria-Geral do Estado para suspender a medida que obrigava a verificação das escolas por técnicos sanitários antes da retomada das atividades
06/11/2020 - 10h49min Corrigir

A Justiça suspendeu, nessa quinta-feira (5), a liminar que impedia o retorno às atividades presenciais nas escolas da rede pública estadual no Rio Grande do Sul.

A medida determinava que os planos de contingência das escolas estaduais deveriam ser revisados por fiscais sanitários, e não por professores e funcionários das instituições de ensino, conforme estabelece as portarias do Estado de rotorno às aulas presenciais. Com isso, a Secretaria Estadual da Educação (Seduc) orienta para que as instituições voltem a abrir as portas a partir desta sexta-feira (6).

Essa suspensão ocorreu após despacho do juiz Cristiano Vilhalba Flores, da 3ª Vara da Fazenda Pública de Porto Alegre, proferido na terça-feira (3), em resposta a uma solicitação da Procuradoria Geral do Estado (PGE). O órgão havia entrado com recurso contra a decisão liminar que definia diversas condições para a retomada das aulas presenciais em escolas geridas pelo governo gaúcho.

A decisão dessa quinta foi lida pela desembargadora Marilene Bonzanini. A magistrada entendeu que o governo do Estado é o responsável por estabelecer os protocolos para a retomada das atividades presenciais nas escolas de toda a rede de ensino, e não somente a estadual. Ela ainda justificou que o governo tem respaldo “por critérios científicos e sanitários” para a retomada das aulas.

O pedido de suspensão foi apresentado pela PGE. No recurso, o órgão ressaltou que o simples atestado por profissional da área sanitária em um dado momento não assegura a preservação das condições de segurança, pois a organização do local não é suficiente sem o engajamento permanente da comunidade escolar. A PGE também sustentou que os procedimentos orientativos previstos nas portarias foram criados por profissionais capacitados envolvendo as secretarias da Saúde (SES) e da Educação (Seduc).

O retorno das aulas presenciais vinha acontecendo desde o dia 20 de outubro, conforme calendário definido em setembro pelo governo estadual. No entanto, muitos prefeitos optaram por não seguir a orientação do Estado e suspenderam as atividades presenciais nas escolas através de decretos municipais - como é o caso de Camaquã e região Costa Doce.

Segundo um balanço da Seduc, publicado na quinta-feira (29) da semana passada, das 629 escolas de Ensino Médio e Técnico em municípios onde a abertura estava autorizada, 101 receberam estudantes para aulas presenciais. Já das 813 escolas de Ensino Fundamental em munícipios onde o retrono estava autorizado, apenas 60 receberam estudantes desde o dia 20 de outubro.

Com informações da GaúchaZH

MAIS NOTÍCIAS

FUNERÁRIA CAMAQUENSE
ROGÉRIO CALÇADOS
ELETRO CLIC
RESTAURANTE COME COME
ADRIANO CONRADO
PADARIA ESTRELA
SUPER SÃO JOSÉ
OLIDATA
MÁRIO SERRALHEIRO
ART MÓVEIS
FUNERÁRIA BOM PASTOR
Mais Lidas
FUNERÁRIA CAMAQUENSEROGÉRIO CALÇADOSELETRO CLICRESTAURANTE COME COME
ADRIANO CONRADOPADARIA ESTRELASUPER SÃO JOSÉOLIDATAMÁRIO SERRALHEIROART MÓVEISFUNERÁRIA BOM PASTOR
Tocando agora: Relembre bons momentos
Diminuir/Aumentar Fonte: Fonte: A - A +