Geral

Delegados explicam como se proteger do "Golpe do PIX"

O PIX é seguro, basta estar atento
22/02/2021 - 14h22min Corrigir

Em novembro de 2020, começou a operar o PIX, um meio de pagamentos eletrônicos do Banco Central do Brasil, e em pouco mais de três meses já foram 65 milhões de usuários cadastrados. A Associação dos Delegados de Polícia do RS - ASDEP, por seu Presidente, Del. Pedro Carlos Rodrigues, alerta sobre os perigos do sistema. “Em função da praticidade e rapidez, o PIX se tornou um facilitador de golpes. Antes era necessário fazer um TED ou DOC para que a vítima fosse lesada, agora o golpe é realizado com uma simples clonagem de telefone”, afirmou o delegado.

O presidente da ASDEP explicou como são feitos os golpes. “O criminoso aciona a vítima por WhatsApp se passando por um amigo ou familiar. Então, ele inventa alguma desculpa, como que está sem limite no cartão, por exemplo, e solicita a transferência por PIX para uma conta clonada. Após a transferência, o dinheiro é sacado imediatamente para que o banco não possa anular a transferência. Por isso, a agilidade do PIX facilitou os estelionatos”, explicou o presidente.

Porém, o delegado ainda alertou que o Banco Central garantiu a segurança da ferramenta e explicou que a principal forma de se proteger é atentar-se aos detalhes. “Sempre desconfie quando alguém vem pedir dinheiro por WhatsApp. Pergunte para outros familiares ou amigos se eles sabem o motivo do pedido e uma maneira de confirmar a veracidade é telefonar para quem está pedindo. O PIX é seguro, basta estar atento”.

Com informações da Divulgação ASDEP

MAIS NOTÍCIAS

CAMPANHA CONTRA COVID
FUNERÁRIA BOM PASTOR
ADRIANO CONRADO
ROGÉRIO CALÇADOS
FUNERÁRIA CAMAQUENSE
MÁRIO SERRALHEIRO
ART MÓVEIS
ELETRO CLIC
OLIDATA
SUPER SÃO JOSÉ
Tocando agora: Relembre bons momentos
Diminuir/Aumentar Fonte: Fonte: A - A +