Polícia

Buscas por Lázaro já duram 10 dias; Força Nacional é acionada

Perseguido por cerca de 200 policiais, o “serial killer” já realizou ao menos três confrontos com forças de segurança na caçada, mas conseguiu escapar em todas as vezes
18/06/2021 - 18h09min Brasil 61 Corrigir

O “serial killerLázaro Barbosa trocou tiros com a polícia e fugiu novamente, nessa quinta-feira (17). Essa foi a última aparição do criminoso, que já cometeu ao menos cinco homicídios nas últimas semanas e leva terror ao Entorno do Distrito Federal e regiões de Goiás. Nesta sexta-feira (18), a busca por Lázaro chega ao 10º dia, quando a Força Nacional entra em ação.
 
Segundo o secretário de Estado da Segurança Pública de Goiás, Rodney Miranda, cerca de 20 homens da Força começam a atuar na operação hoje. Eles se juntam a uma equipe de cerca de 200 policiais — de dois estados —, cães, helicópteros, drones e equipamentos tecnológicos de ponta que estão sendo utilizados na busca. Um reforço da Polícia Federal também foi chamado. Rodney também detalhou que Lázaro pode estar ferido.
 
“Houve uma nova troca de tiros com ele [Lázaro] aqui próximo [do povoado de Girassol, na cidade de Cocalzinho]. Possivelmente ele esteja ferido, porque acharam um pano ensanguentado, como se fosse um torniquete, que pode ser até um ferimento grave”, observou.
 
O secretário informou que Lázaro foi farejado por cães especializados em buscas e tentou atingi-los. “O cão, da equipe de cães, apoiado pelo Bope, foi ao encalço dele. Chegando lá embaixo, ele tentou acertar um dos cachorros. Segundo os policiais que estavam na ação, visualizaram ele e revidaram. Ele entrou em uma vala, uma depressão, possivelmente na água, e os policiais perderam o rastro dele ali.”
 
No período da última noite, o secretário informou que tentou colocar equipes na mata com equipamentos de visão noturna para localizar Lázaro. “Mas, o terreno é muito difícil, e ele é um sujeito perigosíssimo, está armado e continua atirando. Então, nós resolvemos esperar amanhecer para fazer uma nova incursão.” 

O caso Lázaro

O assunto tem ganhado repercussão a cada dia que novos crimes são descobertos, suspeitas são levantadas e Lázaro continua solto. A efeito de comparação, a reportagem analisou dados do Google Trends e apurou que o nome do criminoso vem sendo mais pesquisado na internet do que a CPI que ocorre no Senado Federal, desde o dia 15, quando se completou uma semana de buscas. Além dessa fuga de uma mega operação, também chama atenção o histórico do acusado.
 
Lázaro Barbosa, 32 anos, é natural do estado da Bahia, onde também já cometeu crimes de homicídio. Segundo a Polícia Civil do local, ele assassinou duas pessoas no município de Barra do Mendes, em 2007, e chegou a ser preso após se entregar na delegacia. Porém, dias depois de confessar a autoria das mortes e ser encarcerado, ele fugiu da penitenciária. 
 
“Ele conseguiu fugir cerca de dez dias depois, sendo considerado foragido desde então. O inquérito foi concluído e encaminhado à Justiça. Não dispomos de informações relacionadas ao crime”, informou a Polícia Civil da Bahia, em nota. Em 2009, ele foi preso novamente, mas em Brasília, por suspeita de roubo, estupro e porte ilegal de arma de fogo.
 
A linha do tempo precisa ainda está sendo traçada por diferentes investigadores, mas os casos que motivaram a operação em andamento começaram, ao que tudo indica, em abril. Ele é o apontado como autor de um roubo seguido de estupro, em Sol Nascente, Região Administrativa da periferia do Distrito Federal. Nos meses seguintes, Lázaro ainda fez uma família refém na mesma cidade e cometeu um dos crimes mais bárbaros, o assassinato de um casal e dois filhos, no Incra 9, em Ceilândia (DF).

Confrontos

 A polícia colhe relatos de pessoas que dizem ter se deparado com o criminoso e vítimas que relatam histórias semelhantes, de que ele havia invadido casas e obrigando moradores a cozinharem para ele. Lázaro ainda demonstra frieza em roubos, incêndios e fugas com reféns. Pelo menos um carro e uma casa foram incendiados por ele durante os últimos dias.
 
No último sábado, Lázaro entrou na fazenda da família de um soldado da Polícia Militar do DF e fez o caseiro de refém. Lá ele consumiu bebida alcoólica, destruiu objetos da parte de dentro da propriedade, fumou maconha e obrigou o homem a usar a droga. De acordo com a PMDF, houve um confronto nesse dia.
 
“Nosso soldado voltou para a propriedade no início da noite. Chegou até a cancela e, provavelmente, quando foi abrir, o homem fugiu e levou o caseiro de refém. O criminoso foi para a fazenda ao lado, cerca de 700 metros, e baleou três homens. Havia uma senhora e uma criança no local. As testemunhas disseram que o criminoso ia colocar fogo na casa, mas não o fez por conta da mulher e da criança”, diz a nota.
 
Ainda segundo a corporação, uma equipe de policiais militares de Goiás foi ao local e tentou abordá-lo, mas acabou sendo recebida a disparos de arma de fogo. “Houve a reação com 15 disparos na direção da Rotam e uma fuga para dentro da mata próxima. O criminoso está com um revólver calibre 32, além de outras armas e munições, furtadas das fazendas.”
 
No começo desta semana, ele foi visto por policiais na BR-070, com um carro furtado, mas abandonou o veículo e fugiu novamente. As últimas aparições de Lázaro foram em Cocalzinho de Goiás, no Entorno do DF. Na região, ele trocou tiros com um caseiro na noite de segunda-feira (14) e com um sargento da Polícia Militar na tarde de terça-feira (15). 
 
O PM foi baleado de raspão, segundo a corporação. A Secretaria de Segurança Pública de Goiás emitiu nota, nesta quarta-feira (16), informando que “o policial atingido por um tiro de raspão durante a operação de captura a Lázaro Barbosa Sousa, em Edilândia, povoado de Cocalzinho de Goiás, recebeu alta hospitalar”. 

Governadores

Os governadores de Goiás e do Distrito Federal já se pronunciaram publicamente sobre o caso. Na capital da República, Ibaneis Rocha (MDB) disse que a “caçada impressiona muito, mas espero que ele seja preso o mais rápido possível, para que a gente possa tranquilizar as famílias daquela região e dar a punição devida a esse marginal que vem causando tanto mal e que vem fazendo a polícia do Distrito Federal e do Goiás quase como de bobas”. Ronaldo Caiado (DEM) também manifestou preocupação, avaliando Lázaro como um “facínora”, que age com crueldade. 

Edição: Redação Blog do Juares

MAIS NOTÍCIAS

MÁRIO SERRALHEIRO
ART MÓVEIS
FUNERÁRIA BOM PASTOR
SUPER SÃO JOSÉ
FUNERÁRIA CAMAQUENSE
ELETRO CLIC
ANUNCIE AQUI
OLIDATA
Tocando agora: Relembre bons momentos