Rural

Segundo caso de raiva herbívora é identificado em São Lourenço do Sul

Notificação da doença acontece menos de uma semana após a confirmação do primeiro caso
01/07/2021 - 11h43min Corrigir

Em menos de sete dias, foi confirmado o segundo caso de raiva herbívora em São Lourenço do Sul.

Um laudo do Instituto de Pesquisas Veterinárias Desidério Finamor (IPVDF) confirmou a doença, a partir de uma amostra coletada de um bovino identificado com sintomas suspeitos em uma propriedade rural na localidade de Feliz, zona rural do município.

O dono do animal foi notificado e o local segue sendo monitorado pela Inspeção Veterinária de São Lourenço do Sul. A mesma propriedade havia registrado a morte de um bovino com sintomas característicos aos de raiva, mas com resultado negativo para a doença após análise.

O primeiro caso de raiva herbívora do ano foi confirmado no último dia 24, em uma propriedade rural na localidade de Caipira.

Durante esta semana, equipes de um dos núcleos de Controle da Raiva do município está percorrendo locais com possíveis refúgios de morcegos hematófagos – principal transmissor da doença. Somente no primeiro dia, mais de 30 animais foram localizados em um único ponto.

O Serviço Veterinário dispõe do telefone/WhatsApp (53) 3251 1332 para os produtores rurais comunicarem o órgão, caso identifiquem sintomas suspeitos entre o rebanho ou localizem morcegos hematófagos em suas propriedades. O setor estima que os números da doença no município sejam maiores, uma vez que existe a subnotificação de casos. 

Alerta no RS

Na semana passada, a Secretaria da AgriculturaPecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr) emitiu alerta sanitário acerca da raiva dos herbívoros no Rio Grande do SulMariana Pimentel e Guaíba estão entre os municípios em que já foram identificados focos da doença. Já Barra do Ribeiro, Eldorado do Sul e Porto Alegre estão com alerta de evolução de focos. 

O alerta foi emitido com base em situações registradas no Estado, como a incidência de agressões do morcego hematófago Desmodus rotundus a herbívoros, sem conhecimento e identificação de refúgios. Alguns esconderijos habituais dos morcegos são troncos ocos de árvores, cavernas, fendas de rochas, furnas, túneis e casas abandonadas, entre outros. De janeiro a junho, o Programa de Controle da Raiva Herbívora da Secretaria contabilizou 17 focos de raiva em 13 municípios e possível evolução de focos em mais 28.

MAIS NOTÍCIAS

FUNERÁRIA CAMAQUENSE
OLIDATA
MÁRIO SERRALHEIRO
PIX
CÂMERAS EXTERNAS
ART MÓVEIS
DR. JOÃO BATISTA
FUNERÁRIA BOM PASTOR
SUPER SÃO JOSÉ
KNN IDIOMAS
ELETRO CLIC