Política

“Eu fui eleito pra ser prefeito de Camaquã e é prefeito que eu vou ser", diz Ivo sobre possível candidatura a deputado estadual

Ivo de Lima Ferreira concedeu entrevista à BJ Rádio Web, na manhã desta terça-feira (14), e comentou sobre as especulações a respeito de uma possível candidatura à Assembleia Legislativa em 2022
14/09/2021 - 11h57min Corrigir

O Encontro 9.9 recebeu, na manhã desta terça-feira (14), o prefeito de Camaquã, Ivo de Lima Ferreira (PSDB), acompanhado do vice Abner Dillmann e do secretário especial de Governo, Rafael de Moura. A entrevista foi comandada por Juares da Luz.

Inscreva-se em nosso novo canal do YouTube ACESSE AQUI!

Um dos questionamentos levantados durante a conversa foi se Ivo deve representar o Partido da Social Democracia Brasileira (PSDB) como deputado estadual nas eleições de 2022. O gestor, por sua vez, foi bastante enfático na resposta: “eu fui eleito pra ser prefeito de Camaquã e é prefeito que eu vou ser nesse mandato. [...] Não seria justo com quase 18 mil eleitores que em mim votaram, que em mim apostaram, e eu renunciar meu mandato. Se eu pudesse concorrer e depois retornar pro cargo, tudo bem, mas não. Eu tenho que renunciar o mandato e eu não vou fazer isso aí. É uma questão de respeito”.

Ivo comentou que o partido pode ter representantes do município concorrendo no pleito, mas que possivelmente seu nome estará fora da disputa. “Hoje à noite nós vamos reunir a Executiva (do partido) pra tratar desse assunto. Mas nós temos lá, no mínimo, quatro nomes fortes pra ser candidato, que podem ser e têm condições de ser candidato. [...] Não é que eu tenha medo de concorrer a deputado, jamais! Pelo conhecimento que nós temos da região, falando em nível de região, eu não teria medo de concorrer e eu tenho certeza que não faria feio. Mas não, é uma questão de respeito com a nossa população de Camaquã”.

“Se Deus me permitir, eu estarei até o final (do mandato) juntamente com o Abner, que é um baita de um parceiro. Olha, vou te dizer uma coisa: nove meses de governo e até hoje um não olhou feio pro outro. [...] A população pode ter certeza que hoje existe um prefeito e um vice-prefeito pensando, trabalhando de forma unida. O gabinete não é do prefeito, o gabinete é do prefeito e do vice-prefeito e da nossa população, que quando precisa, pode ir lá”, completou.

O político também falou da gratidão que sente pela confiança que a população camaquense depositou nele para seguir com o mandato de prefeito em meio à pandemia da covid-19. “Ninguém tinha (experiência em gestão durante a pandemia), nem os maiores especialistas. E lá deram o troco na urna e veja bem, não foi qualquer um que nós disputamos. Doutor Beto Grill, um cara que foi prefeito de São Lourenço (do Sul), foi prefeito no Cristal, foi deputado, foi vice-governador do Estado... É um cara que tem um nome na política pública, tem uma bagagem. E nós demos um show de quase 7 mil votos (de diferença). Então, dizer assim: a população aprovou, tá aprovando o que nós temos fazendo [sic]. Existe divergência? Existe! E nós respeitamos porque a democracia é assim”.

“Eu só quero fazer meu trabalho de forma democrática, de forma unida, pensando sempre no melhor para a população. Eu não tenho nenhuma pretensão política e nem dependo da política pra sobreviver. [...] Eu estou na política porque acredito, porque nós só vamos conseguir mudar através da política. Enquanto existir a democracia no nosso país, vai existir a política. E enquanto existir a política, vai existir os políticos. Nós é que temos que saber escolher os políticos”, concluiu Ivo.

Ouça a entrevista na íntegra em formato de Podcast:

ASSISTA A ENTREVISTA NA ÍNTEGRA AQUI! 

Para receber as notícias gratuitamente e em tempo real participe do nosso grupo de WhatsApp, acessando aqui!

MAIS NOTÍCIAS

OLIDATA
FUNERÁRIA CAMAQUENSE
SUPER SÃO JOSÉ
KNN IDIOMAS
CÂMERAS EXTERNAS
ART MÓVEIS
FUNERÁRIA BOM PASTOR
ELETRO CLIC
PIX
MÁRIO SERRALHEIRO
SERVI