Justiça

Justiça condena cacique pelo estupro das netas no RS

Uma das vítimas foi mantida em cárcere privado pelo acusado após relatar os abusos na aldeia onde viviam
28/05/2022 - 15h39min Corrigir

Um cacique de uma aldeia indígena de Porto Alegre foi condenado pelo Tribunal de Justiça Estadual (TJ-RS) por estuprar as netas. A decisão foi publicada nessa sexta-feira (27). O réu recebeu sentença de 26 anos, seis meses e 15 dias de prisão, em regime fechado, por cárcere privado e estupro. As vítimas tinham 12 e 16 anos de idade na época dos fatos e são parentes do acusado por parte de pai. 

Conforme a denúncia apresentada pelo Ministério Público (MP), o agressor tocou nas partes íntimas da menina de 12 anos, beijando-a no pescoço, rosto e boca quando foi na casa da neta sob o pretexto de que assistiria a um filme com ela. Ele só parou com a chegada da irmã, que ouviu os gritos e choros da vítima. O episódio ocorreu em 2012, na aldeia indígena liderada pelo cacique

A jovem só revelou sobre os abusos quando tinha 17 anos, na presença de outros indígenas da comunidade. Segundo o TJ-RS, ela foi detida pelo cacique, permanecendo presa por quatro dias em um local pequeno e escuro, sem comer e poder fazer as necessidades fisiológicas, como forma de castigo por ter exposto o ocorrido.

Inscreva-se em nosso novo canal do YouTube ACESSE AQUI!

“A prova dos autos também revela que as condições do cárcere privado foram degradantes, pois segundo a prova oral, não havia espaço físico para que se pudesse deitar na cela, não foi permitido que a vítima saísse para utilizar o banheiro, não havia iluminação natural e a vítima sequer se alimentou”, disse a juíza de Direito da 6ª Vara Criminal do Foro Central da Capital, Tatiana Gischkow Golbert, em decisão proferida em junho de 2019.

O MP apontou na denúncia que o cacique atacou a outra neta em via pública. A tentativa de estupro só não teria avançado para a prática de outros atos sexuais pelos gritos da vítima que chamaram a atenção no local, mas o homem teria chegado a tocar na adolescente. Após os abusos, a família buscou ajuda e se mudou para outra aldeia da Capital.

Além de estupro de vulnerável, tentativa de estupro e cárcere privado, o acusado foi condenado também por coação no curso do processo. De acordo com o TJ-RS, as netas eram constantemente ameaçadas pelo avô.

A defesa do cacique recorreu da sentença e da decisão de segundo grau, mas a Justiça manteve a condenação. Outros recursos não conhecidos pelo Supremo Tribunal de Justiça (STJ) e Supremo Tribunal Federal (STF) também foram apresentados, porém não cabe mais recuso da sentença. O homem está foragido.

Para receber as notícias gratuitamente e em tempo real participe do nosso grupo de WhatsApp, clicando aqui!

Ou participe do nosso grupo no Telegram clicando aqui!

Ouça AQUI a web rádio do Blog do Juares!

Siga o Blog do Juares no Google News e recebe notificações das últimas notícias em seu celular, acessando aqui!

MAIS NOTÍCIAS

SUPER SÃO JOSÉ
IDEALPLAST
ART MÓVEIS
GRÁFICA.COM
FUNERÁRIA CAMAQUENSE
LEDEJAR
TBK INTERNET
FUNERÁRIA CONCÓRDIA
BORGTE CONSÓRCIOS
Mais Lidas
SUPER SÃO JOSÉIDEALPLASTART MÓVEISGRÁFICA.COMFUNERÁRIA CAMAQUENSELEDEJARTBK INTERNETFUNERÁRIA CONCÓRDIABORGTE CONSÓRCIOSCÂMERAS
Ouça a BJ Rádio Web

Está claro demais aqui? O Blog do juares agora conta com o modo escuro. Aperte na lâmpada e apague a luz!