Polícia

Operação cumpre mandados judiciais contra tráfico de drogas em condomínio do Minha Casa, Minha Vida no Litoral Norte

Diligências foram deflagradas pelo Ministério Público e Brigada Militar também em cidades das regiões Metropolitana e Carbonífera, com o apoio da Susepe
05/08/2022 - 11h24min Ministério Público do RS / Edição: Redação BJ News Corrigir

O Ministério Público do Rio Grande do Sul (MP-RS) e a Brigada Militar desencadearam nesta sexta-feira (5) uma operação para combater o tráfico de drogas e a associação para o tráfico de drogas em um condomínio residencial do Programa Minha Casa Minha Vida em Santo Antônio da Patrulha, no Litoral Norte. Além de armazenar drogas em apartamentos próprios e alugados, o grupo também obrigava moradores, mediante ameaça, a guardarem os entorpecentes. Há casos de pessoas que tiveram de abandonar seus apartamentos.

Pelo MP, a operação Retomada é conduzida pelos promotores de Justiça Camilo Vargas Santana, de Santo Antônio da Patrulha, e João Afonso Silva Beltrame, coordenador do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco). Pela Brigada Militar, lideram a ofensiva os comandantes do Comando Regional de Polícia Ostensiva do Litoral (CRPO Litoral), tenente-coronel Ney Humberto Fagundes Medeiros, e do 8º Batalhão de Polícia Militar (8º BPM), major Fábio Hax Duro. Ao todo, atuam na operação 232 agentes da BM e do MP, além dos dois promotores de Justiça.

Dos 17 mandados de prisão, 11 são cumpridos em Santo Antônio da Patrulha, um em Canoas e cinco, com o apoio da Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe), em penitenciárias de Charqueadas e Osório. Os 40 mandados de busca e apreensão estão sendo cumpridos em Santo Antônio da Patrulha e Osório, no Litoral Norte; Canoas e Nova Santa Rita, na Região Metropolitana; e em Charqueadas, na Região Carbonífera. Além disso, o MP pediu o bloqueio judicial de 10 apartamentos no condomínio.

O promotor de Justiça Camilo Vargas Santana lembra que é de conhecimento público na cidade que uma facção criminosa instalou-se no residencial composto por unidades do Minha Casa, Minha Vida, do governo federal. “A partir do início das investigações, foi possível confirmar a ocorrência de traficância no local, bem como a presença e a participação neste crime de integrantes de uma facção com origem em Canoas. Além disso, constatou-se a utilização de diversas unidades habitacionais para o tráfico de drogas, com o completo desvirtuamento de sua finalidade social. A ação também atende a reclamo dos moradores do local que se sentem reféns em suas próprias casas", disse Santana.

O promotor de Justiça João Afonso Silva Beltrame, coordenador do Gaeco, justifica as prisões dizendo que “os requisitos necessários para o decreto de prisão estão presentes, uma vez que a associação dos investigados fomenta o tráfico de drogas na região, podendo inclusive gerar outros delitos autônomos como furtos e roubos praticados por usuários de entorpecentes, a fim de continuar sustendo o vício, gerando, assim, um grave abalo à ordem pública local”. Para Beltrame, “a adoção dessa medida extrema é a única forma de desarticular a associação criminosa desvelada e garantir o bom andamento da marcha processual”.

A investigação verificou que a facção, comandada por dois irmãos recolhidos na Penitenciária Modulada Estadual de Charqueadas, trazia a droga de outra cidade, provavelmente de Canoas, e a estocava em residências próximas e em apartamentos dentro do condomínio. O grupo adquiriu ou alugou cerca de 20 apartamentos no residencial em Santo Antônio da Patrulha, os quais eram utilizados para moradia, fracionamento e armazenamento de drogas. A venda dos entorpecentes ocorria em frente ao condomínio, à luz do dia, e os moradores que não colaborassem com essa prática eram obrigados a deixar o local. Além disso, perpetuava a lei do silêncio, pois os moradores não se sentiam seguros em denunciar os envolvidos com o tráfico de drogas no local, por medo de represálias.

Para o comandante Regional de Polícia Ostensiva do Litoral (CRPO Litoral), tenente-coronel Ney Humberto Fagundes Medeiros, a atuação conjunta da BM e do MP demonstra, mais uma vez, que a parceria dos órgãos alcança resultados contundentes no combate à criminalidade.

Conforme o comandante do 8º BPM, major Fábio Hax Duro, o nome da operação remete ao objetivo da Brigada Militar e do MP de resgatar a tranquilidade de moradia para inúmeras famílias da área. “Realizamos um trabalho intenso com Inteligência e ações efetivas, que vêm dando resultados, há quatro meses, para o combate ao tráfico nesse local e a outros crimes associados a ele, promovendo, por consequência, a possibilidade de famílias retomarem uma vida segura no residencial”, declarou o major Hax.

Pela Brigada Militar, atuaram o efetivo de inteligência e operacional do Comando Regional de Policia Ostensiva do Litoral (CRPO Litoral) do 8º BPM, do Batalhão de Operações Especiais (Bope), do 1º Batalhão de Polícia de Choque (1º BPChoque) e do Canil Central do 1º BPChoque. Na Região Metropolitana, o efetivo do Bope atuou sob o comando do tenente-coronel Santos Rocha.

Inscreva-se em nosso novo canal do YouTube ACESSE AQUI!

Para receber as notícias gratuitamente e em tempo real participe do nosso grupo de WhatsApp, clicando aqui!

Ou participe do nosso grupo no Telegram clicando aqui!

Ouça AQUI a web rádio do Blog do Juares!

Siga o Blog do Juares no Google News e recebe notificações das últimas notícias em seu celular, acessando aqui!

MAIS NOTÍCIAS

LEDEJAR
FUNERÁRIA CAMAQUENSE
GRÁFICA.COM
TBK INTERNET
IDEALPLAST
FUNERÁRIA BOM PASTOR
Borgte Consórcios VEÍCULOS
FUNERÁRIA CONCÓRDIA
CÂMERAS
Mais Lidas
LEDEJARFUNERÁRIA CAMAQUENSEGRÁFICA.COMTBK INTERNETIDEALPLAST
FUNERÁRIA BOM PASTORBorgte Consórcios VEÍCULOSFUNERÁRIA CONCÓRDIACÂMERAS