Economia

Auxílio emergencial vai até dezembro ou janeiro? Entenda!

Muitos beneficiários do programa social têm feito essa pergunta. Saiba melhor acessando a matéria
22/10/2020 - 11h38min Corrigir

No começo do mês passado, o governo Federal anunciou que o auxílio emergencial, criado para ajudar desempregados, trabalhadores informais e beneficiários do Bolsa Família a enfrentarem os efeitos da pandemia do novo coronavírus, teria outra extensão. No entanto, seriam pagas até quatro parcelas de acordo com o mês seguinte ao último crédito recebido do benefício original de R$ 600 ou R$ 1.200 (no caso de mães monoparentais).

O valor do auxílio foi fixado em R$ 600 para as mulheres chefes de família e R$ 300 para os demais trabalhadores. O pagamento do chamado auxílio emergencial residual será concluído em 31 de dezembro, que é a data em que se encerra o decreto de estado de calamidade pública instituído no Brasil devido à pandemia da covid-19.

Como as quatro parcelas de R$ 300 devem ser pagas até o final do ano, apenas os segurados do Bolsa Família e os trabalhadores que receberam em abril a primeira parcela de R$ 600 terão direito a todas elas - que seriam depositadas na conta social digital em setembro, outubro, novembro e dezembro.

Os aprovados do segundo lote irão receber apenas três e, assim, sucessivamente até os aprovados no sexto lote. Já os que foram aprovados no sétimo lote devem ficar sem nenhuma parcela de R$ 300. São aqueles trabalhadores inscritos nas agências dos Correios entre 8 de junho e 2 de julho, ou que tenham feito a contestação entre 3 de julho e 16 de agosto.

O benefício começou a ser pago no mês passado aos inscritos no Bolsa Família. Atualmente, todos já receberam a primeira parcela e estão concluindo o recebimento da segunda. Os aprovados no primeiro lote também já começaram a receberam a primeira parcela de R$ 300.

Porém, é o calendário de saques e transferências que acabou gerando confusão nos beneficiários do auxílio. Muitos trabalhadores que recebem o benefício estão acreditando que o valor continuará sendo pago no ano que vem.

Mas como foi explicado logo acima, a Caixa Econômica Federal irá depositar o benefício em conta digital até dezembro. O valor fica livre, no primeiro momento, somente para pagamento de boletos e compras por meio do cartão virtual do aplicativo Caixa Tem. As movimentações em espécie ou para outras contas só serão liberadas a partir de 7 de novembro e devem se estender até 27 de janeiro de 2021. 

Calendário de pagamentos

Auxílio Emergencial - Beneficiários do Bolsa Família — Foto: Economia G1
 
Auxílio Emergencial - aprovados que receberam a primeira parcela em abril — Foto: Economia G1

 

Auxílio Emergencial  - aprovados que receberam a primeira parcela em maio — Foto: Economia G1

 

Auxílio Emergencial  - aprovados que receberam a primeira parcela em junho — Foto: Economia G1
 
Auxílio Emergencial - aprovados que receberam a primeira parcela em julho — Foto: Economia G1
 
Auxílio Emergencial - aprovados que fizeram contestação — Foto: Economia G1

 

Para 2021, o presidente Jair Bolsonaro estuda duas propostas de programas sociais para substituir o auxílio emergencial e o Bolsa Família, que são o Renda Cidadã e o Renda Brasil.

Saiba mais: Entenda as diferenças e o que são o Renda Cidadã e o Renda Brasil

MAIS NOTÍCIAS

RESTAURANTE COME COME
PADARIA ESTRELA
ELETRO CLIC
FUNERÁRIA BOM PASTOR
ROGÉRIO CALÇADOS
OLIDATA
SUPER SÃO JOSÉ
ART MÓVEIS
ADRIANO CONRADO
DIGA NÃO!
FUNERÁRIA CAMAQUENSE
Tocando agora: Relembre bons momentos
Diminuir/Aumentar Fonte: Fonte: A - A +