Política

Relatório da Assembleia Legislativa recomenda audiência pública sobre barragem de Camaquã

Medida tem como objetivo evitar tragédias
25/10/2019 - 15h06min Portal AU Corrigir

O deputado Paparico Bacchi, usou a tribuna da Assembleia Legislativa na sessão ordinária da última quarta-feira (23) para anunciar as conclusões e encaminhamentos da subcomissão criada para avaliar a situação das barragens instaladas em solo gaúcho. O líder da bancada do Partido Liberal, coordenou o trabalho parlamentar que resultou na apresentação de um relatório aprovado na última reunião da Comissão de Saúde e Meio Ambiente.

O documento, assinado pelo deputado deputado Paparico Bacchi, apresenta recomendações ao Governo do Estado, Ministério Público Estadual, município de Porto Alegre, à Secretaria Estadual do Meio Ambiente e às agências nacionais de água, energia elétrica e mineração. As maiores preocupações estão relacionadas com o cumprimento da legislação vigente, fiscalização dos níveis de segurança das represas e preservação das vidas humanas, especialmente das famílias moradoras próximas ao canal de escoamento da barragem Lomba do Sabão, localizado entre Viamão e Porto Alegre.

A Subcomissão das Barragens, formada pelos deputados Paparico Bacchi (PL), Edegar Pretto (PT), Silvana Covatti (PP), Franciane Bayer (PSB) e Vilmar Lourenço (PSL) iniciou os trabalhos no mês de março. No cronograma de trabalho desenvolvido ao longo de 120 dias, foram realizadas visitas técnicas, promovidas audiências públicas e setoriais com o objetivo de promover debates, identificar a localização, finalidades e o sistema de segurança das estruturas localizadas em solo gaúcho.

De acordo com o deputado Paparico Bacchi a iniciativa foi motivada pela tragédia de Brumadinho, ocorrida no dia 25 de janeiro deste ano.

“Naquela ocasião, após o rompimento de uma barragem instalada na região Metropolitana de Minas Gerais, o Brasil e o mundo foram impactados por aquele desastre que matou pessoas e afetou o meio ambiente em diversos municípios. Era nosso dever contribuir para que o Rio Grande do Sul não corresse o risco de enfrentar o mesmo problema. Ao concluir este relatório, tenho a certeza que estamos dando importante contribuição para o nosso Estado e para o Brasil”, ressalta o relator.

Entre as recomendações apresentadas no relatório está a retirada imediata de 400 famílias que podem ser atingidas diretamente em caso de rompimento da Lomba do Sabão. A barragem desativada, construída na época do Império, ampliada em 1942 e utilizada com fonte de captação de água pelo Departamento Municipal de Água e Esgotos (Dmae) de Porto Alegre, até 2013, não dispõe de plano de ação emergencial e nem plano de segurança, mesmo localizada na Bacia do Arroio Dilúvio, curso hídrico que cruza a cidade de Porto Alegre.

Paparico Bacchi reitera ainda que caberá ao Ministério Público, notificar os responsáveis pelas barragens existentes nos municípios de Maquiné (Forjasul) e Caçapava do Sul (CRM), que não responderam aos pedidos de agendamento para vistorias. O parlamentar também ressalta que será preciso continuar os debates em torno da situação das barragens que apresentam risco à população: Vacacaí Mirim (Santa Maria), Santa Bárbara (Pelotas) e Camaquã (Camaquã), entre outras que permanecem em observação.

MAIS NOTÍCIAS

OLIDATA
SUPER SÃO JOSÉ
ART MÓVEIS
Petroman
ADRIANO CONRADO
ROGÉRIO CALÇADOS
GRUPO WHATSAPP
LAVAGEM FERNANDES
FUNERÁRIA CAMAQUENSE
ELETRO CLIC
FUNERÁRIA BOM PASTOR
RÁDIO SÃO JOSÉ
Tocando agora: Relembre bons momentos
Diminuir/Aumentar Fonte: Fonte: A - A +