Política

Congresso prevê cortes em saúde, educação e infraestrutura para aumentar o fundo eleitoral

O fundo eleitoral é uma verba pública que os partidos recebem em ano de eleições para financiar campanhas
05/12/2019 - 08h33min O Sul Corrigir

A comissão do Congresso responsável pelo Orçamento do governo federal aprovou na quarta-feira (04) um relatório preliminar que aumenta para R$ 3,8 bilhões o fundo eleitoral em 2020. Para inflar os recursos das campanhas municipais, o Congresso prevê cortes em saúde, educação e infraestrutura.

O governo de Jair Bolsonaro desejava destinar R$ 2 bilhões para custear as disputas locais. Porém, presidentes e líderes de partidos que representam a maioria dos deputados e senadores articularam a elevação do valor do fundo em R$ 1,8 bilhão.

O novo montante irá ainda para a votação do relatório final na Comissão Mista do Orçamento. Depois, o plenário do Congresso analisará a proposta em sessão prevista para o dia 17 deste mês.

O aumento do financiamento eleitoral só é possível após a redução nas despesas de diversos ministérios, que afetou mais áreas com impacto social, disseram técnicos do Congresso e do governo. O corte foi de R$ 1,7 bilhão.

Desse montante, as maiores reduções são em saúde (R$ 500 milhões), infraestrutura e desenvolvimento regional (R$ 380 milhões), que inclui obras de habitação e saneamento. A redução em educação chegou a R$ 280 milhões.

O principal alvo da tesourada foi o Fundo Nacional de Saúde, que receberá menos dinheiro, por exemplo, para o Farmácia Popular (corte de R$ 70 milhões), segundo informações do jornal Folha de S.Paulo. O programa oferece remédios gratuitos à população de baixa renda.

MAIS NOTÍCIAS

FUNERÁRIA CAMAQUENSE
RESTAURANTE COME COME
OLIDATA
ROGÉRIO CALÇADOS
ADRIANO CONRADO
RÁDIO SÃO JOSÉ
PADARIA ESTRELA
ART MÓVEIS
SUPER SÃO JOSÉ
ELETRO CLIC
FUNERÁRIA BOM PASTOR
Tocando agora: Relembre bons momentos
Diminuir/Aumentar Fonte: Fonte: A - A +