Política

Para deputado estadual, a conclusão da BR-116 não pode ser patrocinada com recursos da população

A proposta da Ecosul prevê dois novos pedágios, um na chegada de Porto Alegre e outro na região de Tapes
16/04/2021 - 10h12min Corrigir

O deputado estadual Zé Nunes (PT), participou de uma reunião nessa quinta-feira (15), com a Ecosul, empresa que tem a concessão dos pedágios na Região Sul do RS, e diversas lideranças. Na pauta, apresentação da proposta para prorrogar o sistema de pedágio na BR-116 e na BR-392.

O contrato de concessão da Ecosul é de 25 anos, e ainda restam cinco anos para seu término. A empresa apresentou propostas com o objetivo de seguir e antecipar uma renovação de contrato. Nos planos da Ecosul, está reduzir o valor da tarifa, que é a mais cara cobrada atualmente nas rodovias pedagiadas do estado, e realizar obras. Um carro paga R$ 12,30 para passar em cada uma das cinco praças administradas pela empresa. A intenção seria reduzir o valor para R$ 7,38.  

A proposta da Ecosul prevê dois novos pedágios, um na chegada de Porto Alegre e outro talvez na região de Tapes. “Há uma cobrança claramente exagerada na região Sul. A conclusão da BR-116 não pode ser patrocinada com recursos da população”, criticou Zé Nunes.

Zé Nunes lembrou que as obras da rodovia foram paralisadas quando a presidente Dilma Rousseff foi afastada da presidência, e naquela época, 58% estava concluído. “Hoje restam menos de 25% da obra da rodovia. Foi sem dúvida um avanço, que contou com o esforço de muitas mãos, mas poderíamos ter avançado mais se tivéssemos investimentos federais”, alertou.    

O parlamentar lembrou que a Região Sul já perdeu o polo naval, que representou 30 mil empregos diretos na região. “Precisamos ampliar a competitividade do Porto de Rio Grande, afinal 30% do PIB passa pelo Porto de Rio Grande”, disse.

Ele sugeriu que o governo federal faça um profundo estudo, apresentando valores para nova concessão, valores das obras, e claro, redução de custos para a região. “Não podemos abrir não que a duplicação seja concluída e com recurso federais, nem permitir que a região seja impactada dessa forma”, completou.

Camaquã

Sobre a instalação de um novo pedágio na praça de Camaquã, que muito tem se falado no município, de acordo com a apresentação da empresa, não consta nada neste sentido.

MAIS NOTÍCIAS

FUNERÁRIA CAMAQUENSE
ART MÓVEIS
MÁRIO SERRALHEIRO
ROGÉRIO CALÇADOS
ELETRO CLIC
ANUNCIE AQUI
OLIDATA
FUNERÁRIA BOM PASTOR
SUPER SÃO JOSÉ
Tocando agora: Relembre bons momentos
Diminuir/Aumentar Fonte: Fonte: A - A +
*/ ?>