Educação

Governo do Estado propõe retomada das aulas presenciais já para a semana que vem

Calendário com datas escalonadas para a volta às atividades escolares de maneira presencial no RS está sendo apresentado aos municípios nesta manhã e dependerá da aprovação dos prefeitos
01/09/2020 - 11h09min Atualizada em 01/09/2020 - 14h23min Corrigir

Em reunião com a Federação das Associações dos Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs) na manhã desta terça-feira (1º), o governo do Estado apresentou o novo calendário para o retorno das aulas presenciais no Rio Grande do Sul. O Ministério Público e o Tribunal de Contas do Estado (TCE) também estão presentes no encontro, que ainda está acontecendo neste momento.

A ideia é voltar com as atividades escolares de maneira escalonada a partir da próxima semana e encerrando o processo em novembro. As etapas começariam pela Educação Infantil em 8 de setembro, passando pelo Ensino Médio e Ensino Superior, em 21 de setembro (no entanto, a rede estadual retorna apenas em 13 de outubro), e o Ensino Fundamental, entre 28 de outubro (anos finais) e 12 de novembro (anos iniciais).

A decisão, no entanto, caberá aos municípios. As primeiras datas para o retorno gradual apresentadas pelo Estado foram rejeitada por 94,6% dos gestores municipais. Na ocasião, a volta às aulas presenciais ocorreria a partir dessa segunda-feira (31). Por conta da ampla rejeição, o governo do Estado decidiu construir um cronograma, prevendo um adiamento de até 15 dias do plano inicial.

O governo destaca que o retorno não será obrigatório e que a retomada das atividades escolares de forma presencial só será permitida para regiões com bandeira amarela ou laranja no modelo de Distanciamento Controlado, sem a possibiliade de adotar a gestão compartilhada. Nesta rodada, o Estado conta com 17 regiões em bandeira laranja e apenas quatro em bandeira vermelha - o que representaria 91,9% do território gaúcho voltando às aulas presenciais se a retomada fosse já nesta semana.

As propostas do governo também têm sido criticadas pelos principais sindicatos de professores das redes pública e particular. Essas entidades consideram arriscada a retomada das aulas enquanto não houver uma queda significativa no índice de mortes pela covid-19 no Estado.

Leia também: Estado recua e deve estabelecer nova data para volta gradual das aulas presenciais

*Matéria atualizada para acréscimo de informações

MAIS NOTÍCIAS

ART MÓVEIS
ROGÉRIO CALÇADOS
OLIDATA
RÁDIO SÃO JOSÉ
FUNERÁRIA CAMAQUENSE
FAMOSOS
RESTAURANTE COME COME
FUNERÁRIA BOM PASTOR
SUPER SÃO JOSÉ
ELETRO CLIC
ADRIANO CONRADO
PADARIA ESTRELA
Tocando agora: Relembre bons momentos
Diminuir/Aumentar Fonte: Fonte: A - A +